Bobô define: "Brasil redescobriu o Bahia pela gestão. Sou fã do Roger Machado"

Alexandre Praetzel
·3 minuto de leitura
Bahia se reforçou e pode ter bons resultados nas competições maiores. Foto: Alisson Frazao/AGIF
Bahia se reforçou e pode ter bons resultados nas competições maiores. Foto: Alisson Frazao/AGIF

O Bahia tem sido elogiado por um grande público que acompanha o futebol brasileiro pela gestão do presidente Guilherme Bellintani, com ideias e pensamentos modernos, aproveitando a força e o tamanho da torcida. Recentemente, o Bahia chamou a atenção por projetos de inclusão e apoio a causas sociais, além de melhorar o potencial do clube e time.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

O blog conversou com Bobô, hoje deputado estadual e grande ídolo da história do tricolor de aço. Bobô foi o craque da equipe campeã brasileira de 1988, com um futebol técnico e coletivo. Ele tem convicção de que o Bahia virou referência e exemplo.

Leia também:

“Acho que o Bahia, de uns tempos para cá, permitiu uma redemocratização do clube com mudanças profundas e subiu muito de patamar com uma visão moderna, com pessoas que têm conhecimento de futebol e gestão. É muito bacana a gente perceber que o Brasil descobriu um presidente visionário, jovem, empreendedor, com futebol moderno e de negócios. Guilherme Bellintani é baiano e do Bahia. O Bahia hoje tem bandeiras de inclusão e aproximação de pessoas, com diversidade de ações. E o país está elogiando o Bahia. Torcedores se aproximaram, participam e cobram da gestão e estamos falando do Nordeste. Isso é muito bacana”, afirmou.

Bobô acredita que o Bahia sempre teve muita grandeza e que precisa diminuir a diferença dentro de campo, em relação aos seus principais adversários.

“Bahia sempre foi um grande clube, respeitado. Em anos anteriores, o Bahia sempre teve as melhores médias de público e isso o deixou com muita força. Assim, o Bahia sempre teve potencial de crescimento e agora, com a gestão eficiente, o reconhecimento chegou ao Bahia. Os times maiores gostavam de jogar na Fonte Nova porque ficavam com 40% da renda, no mínimo. Espero que o Bahia seja apontado como favorito nas competições nacionais. É bom sabermos que temos um time em condições de ganhar Copa do Brasil, Brasileiro e até uma competição sul-americana. Claro que crescendo um degrau de cada vez e acho que essa hora está chegando”, ressaltou.

Bobô ainda pede mais equilíbrio na divisão das cotas de TV. “É um desequilíbrio cruel e afetou demais os times menores. É difícil você disputar uma competição sabendo que recebe quatro vezes menor do que outros concorrentes. Aí você luta para não cair, enquanto outros vislumbram títulos e Libertadores. Essa MP 984 será mais justa. Se o Bahia receber o Flamengo, é justo o Bahia definir para onde vai seu jogo. Ainda não temos receitas próximas a Santos e Palmeiras, imagine Flamengo e Corinthians. É melhor ter dez candidatos ao título ao invés de quatro. Hoje, é difícil o Bahia repetir o título brasileiro nos pontos corridos”, avaliou.

O Bahia está disputando o Estadual, Copa do Nordeste, Sul-Americana e estará na Série A do Brasileiro. Bobô mostra entusiasmo com o time e elogia o técnico Roger Machado.

“Sou muito fã do Roger como pessoa, um amigo, ser humano espetacular e decente. Roger foi um grande jogador de futebol. É antenado com as questões sociais e acho isso fantástico. O considero um dos melhores desta nova geração de treinadores. Casou a sinergia entre Roger e o Bahia. Roger tem modernidade, conhecimento e estudo. Tem tudo para dar certo. Quero ser otimista, mas não sabemos como os jogadores voltarão, com muito tempo parado. Estou confiante que Roger consiga produzir resultados, mesmo que o Bahia tenha menos opções de elenco que outras equipes”, concluiu.

Roger Machado chegou ao Bahia, no final do Estadual de 2019, conseguindo o título após duas partidas.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.