Bloqueio do valor pela venda de Kaiky faz Santos não cumprir acordo com clube russo


O bloqueio das contas do Santos pelo Fisco Espanhol segue causando problemas ao clube alvinegro. A direção santista foi pega de surpresa com a retenção dos valores referentes a venda do zagueiro Kaiky ao Almería, da Espanha, em julho do ano passado e não conseguiu pagar uma das parcelas ao Krasnodar, da Rússia, relativa à dívida pela contratação do meio-campista peruano Christian Cueva, em 2019. Na época, o presidente era José Carlos Peres.

Em junho de 2021, já na atual administração, presidida por Andres Ruda, o Santos fez um acordo com o clube russo para pagar o valor de 7 milhões de dólares (R$ 35 mi, na cotação da época) de maneira parcelada. Até o ano passado, os santistas haviam cumprido o acordo, já havendo abatido praticamente a metade da pendência, aproximadamente 3,5 milhões de dólares (R$ 17,8 mi, na cotação atual). Contudo, o desfalque das contas causado pela justiça espanhola prejudicou o Peixe no pagamento de uma das parcelas, no segundo semestre de 2022.

+ Cara de Sapato no BBB 23: saiba mais sobre o lutador do UFC e amigo de Neymar

+ Acompanhe as atualizações do mercado da bola no vaivém do L!

Santos x Corinthians Cueva
Santos x Corinthians Cueva

Contratação de Cueva (foto) fez com que o Peixe devesse ao Krasonodar (Foto: Luis Moura/WPP/Lancepress!)

A situação abre brecha para que o Krasnodar acione o Santos na Fifa, pedindo até um transfer ban, porém isso dificilmente acontecerá. Isso porque, além de ter honrado parcelas anteriores, a direção do Alvinegro Praiano procurou a equipe russa para explicar a situação e pagou um quarto do valor referente à parcela que não conseguiu cumprir integralmente.

De acordo com informações obtidas pela reportagem, a quantia devida é de 1,5 milhão de dólares (R$ 7,6 mi, na cotação atual) - a parcela era de 2 milhões de dólares (R$ 10,1, na cotação atual), e o Peixe pagou 500 mil dólares (R$ 2,5 mi, na cotação atual). A próxima prestação está próxima de vencer e o clube alvinegro está em busca de não adicionar um novo débito.

+ Confira a tabela do Paulistão e simule os primeiros jogos da competição estadual

O bloqueio das contas pela Receita Federal da Espanha tem a ver com a ausência no recolhimento de impostos pela venda do atacante Neymar Júnior ao Barcelona, em 2013. Na época, o presidente santista era o já falecido Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro. A atual administração tenta conversar com a justiça espanhola para minimizar o dano, mas reconhece que houve o erro em faltar com o pagamento dos tributos.

Em relação a Cueva, a diretoria do Santos vive a expectativa de receber algo em torno de R$ 40 milhões do Pachuca, do México, em relação ao jogador. Isso porque no início de 2020, o peruano deixou o Peixe e acertou com o time mexicano de forma unilateral. A situação foi levada a julgamento na Corte Arbitral do Esporte (CAS), que deu causa ganha aos santista, que teriam que receber R$ 37,6 milhões mais 5% de juros contados a partir do dia 8 de junho de 2020. A situação foi levada ao TAS, que é uma espécie de Supremo para assuntos esportivos. A tendência é que o Alvinegro Praiano siga vencedor e tenha que receber a quantia.

Desde que assumiu o Santos, no início de 2021, Andres Rueda e a sua diretoria tem colocado como premissa pagar contas criadas por gestões anteriores. No período, a administração atual quitou pendências com times estrangeiros que chegaram a gerar banimento do Peixe na Fifa, como Atlético Nacional (Colômbia), Hamburgo (Alemanha) e Huachipato (Chile). Neste período também foram feitos acordos para parcelamento de dívidas trabalhistas e tributárias e outras pendências, como com o Grupo Doyen e o empresário Giuliano Bertolucci.