Bloco do Amor nasce de uma semana na Barra Funda

·1 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Bloco do Amor nasceu na tarde desta quinta-feira (21), às 15h32, depois de uma semana de gestação. Para não ficar órfão de folia, um grupo de amigos que sempre curtiu o Carnaval se juntou e fez a festa no cruzamento entre as ruas Barra Funda e Lopes de Oliveira, em São Paulo.

Como a crise não dá um tempo nem no Carnaval, o bloco já veio ao mundo endividado. "O aluguel do carro de som custou R$ 3.000 e já paguei metade. Conto com a contribuição dos foliões", disse o músico Lincoln Antônio, um dos fundadores. O grupo divulgou um email por onde quem se divertia poderia fazer um Pix.

Também fundadora do bloco, a artista Paula Flecha Dourada disse que a apresentação foi marcada para esta quinta para homenagear a data de morte de um aderecista amigo de todos. "É manter aceso o Carnaval na Barra Funda, um berço do samba de São Paulo", contou.

Para evitar problemas com as autoridades, Paula volta e meia destacava a importância de deixar espaço livre nas ruas para a passagem dos carros.

Assim que as marchinhas começaram a fazer a alegria da Barra Funda, dezenas de foliões se juntaram. A estilista Mariana Ferreira, 33, estava com um grupo de amigas que, pela manhã, já tinha curtido o Saia de Chita. "Descobri aqui pelo Instagram. Espero que venha bastante gente. Os carros passando atrapalham um pouco", afirmou. Minutos depois, porém, a rua já estava totalmente tomada e já era possível dizer que em abril tem Carnaval por aqui.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos