Ortigoza e Lezcano deixam seleção do Paraguai por diferenças com Arce

Assunção, 30 mar (EFE).- O meia Néstor Ortigoza e o atacante Darío Lezcano anunciaram que deixarão a seleção do Paraguai por diferenças com o técnico Francisco Arce depois de a equipe ter sido derrotada pelo Brasil por 3 a 0 pelas Eliminatórias Sul-Americana para a Copa do Mundo de 2018.

Ortigoza, que joga no San Lorenzo, disse hoje à "Radio Urbana" que deixará a 'Albirroja' porque "não há respeito com os jogadores".

"Falei com o presidente da Associação Paraguaia de Futebol e comentei que não quero continuar. Há questões que o técnico tem com as quais no compartilho", afirmou o meia.

Ortigoza disse que a seleção paraguaia é comandada como "um clube de bairro" e que tomou a decisão por "diferenças com Arce".

Já Lezcano, atacante do Ingolstadt 04, explicou à "Rádio Monumental" que se sentiu "doído e incomodado" após ficar fora do banco de reservas para o jogo contra o Brasil.

"Estou doído e incomodado pelas coisas que fizeram comigo, nunca na vida passei por algo similar, nunca me deixaram fora do banco em uma partida. Me parece uma falta de respeito", afirmou.

O artilheiro revelou que os problemas começaram no treino realizado pelo Paraguai antes da viagem a São Paulo.

"Arce escolheu 14 jogadores e deixou alguns de nós debaixo de uma árvore por uma hora. Isso já me incomodou", afirmou o atacante.

Lezcano deixou claro que não voltará a vestir a camisa do Paraguai enquanto Arce for o técnico da seleção.

A Associação Paraguaia de Futebol anunciou que o presidente da entidade concederá uma entrevista coletiva amanhã para falar de vários temas relacionados à seleção.

O Paraguai é oitavo colocado nas Eliminatórias, com 18 pontos, a quatro pontos da Argentina, quinta colocada, o último posto que pode dar classificação para o Mundial de 2018 através de repescagem. EFE