Bia Zaneratto e Chú exaltam trabalho defensivo de Pia no 2º treino

Yahoo Esportes
(foto: Olga Bagatini)
(foto: Olga Bagatini)

A técnica Pia Sundhage comandou nesta terça-feira, no CT da Barra Funda, o segundo treino à frente do Brasil antes do Torneio Uber Internacional de Seleções Femininas. A treinadora priorizou triangulações até a linha de fundo e cruzamentos — algo que ela já havia identificado como um déficit da equipe — e deu muitas instruções sobre o posicionamento e balanço defensivo das jogadoras.

Após a atividade, Bia Zaneratto e Chú deram entrevista coletiva e analisaram o segundo dia de trabalho da sueca com o grupo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“É um novo ciclo que se inicia. [A filosofia de Pia] É totalmente diferente [dos trabalhos anteriores], a gente está se adaptando, é o segundo dia apenas”, avaliou Bia Zaneratto.

A atleta do Steel Red Angels, da Coreia do Sul, exaltou a capacidade da treinadora de mesclar sua experiência na Suécia e nos Estados Unidos com o “estilo brasileiro”. “Essa junção vai fazer total diferença para nossa evolução.”

Mais sobre futebol feminino no Deixa Ela Jogar:

“O trabalho dela está sendo muito bom, já deu para perceber que ela gosta muito do sistema defensivo. Isso a gente está adaptando, ela veio com uma filosofia nova de trabalho. O segundo dia de trabalho foi bastante produtivo e eu acredito que só tem a melhorar", acrescentou Chú, que ficou fora da lista de Vadão para a Copa do Mundo, mas foi convocada por Pia.

Na atividade desta terça, Pia não deu indícios de quem será titular na estreia contra a Argentina, dia 29 de agosto, no Pacaembu. As jogadoras fizeram trabalhos físicos intensos sob os cuidados do preparador Fábio Guerreiro e repetiram exercícios de cruzamento desde a linha de fundo. Pia também insistiu bastante na triangulação e em trabalhos de ataque contra defesa, interrompendo a atividade diversas vezes para dar instruções em inglês.

“Ela gosta de trabalhar o terço final do campo. Nos jogos, muitas vezes a gente tem a bola no ataque e chega com qualidade ao fundo, mas peca no último passe, que pode matar o jogo”, avaliou Chú, que atua no Changchun Dazhong, da China. “Essa bola rolada para trás é muito boa, mas a gente costuma chegar ao fundo bem posicionada e colocar uma bola alçada. Ela quer que a gente cruze no chão para chegar com mais equilíbrio para fazer a finalização.”

Chú exaltou a força tática do futebol chinês para explicar sua convocação. Ela avalia que a treinadora sueca aprecia a obediência tática, time compactado e o esquema defensivo fortalecido, o “defender bem para poder atacar bem” que também é utilizado nos clubes chineses.

“Na o futebol é bastante tático, e como eu jogo de meia aberta e isso requer muita obediência tática, acredito que isso chamou atenção dela. Meu treinador sempre fala que todo mundo tem que defender junto e todo mundo tem que atacar junto", avaliou Chú, que se mostrou tranquila por ter ficado fora da Copa. “Se não houve a convocação antes, tudo tem um propósito. acredito que esse é o momento para eu estar aqui. O que passou, passou. Agora é um novo ciclo.”

Leia mais:

Segundo as jogadoras, a comissão técnica ainda não passou instruções específicas sobre o duelo com as argentinas — que surpreenderam pelo bom desempenho no Mundial da França, em que conquistaram seus primeiros pontos na história da competição.

“A princípio, ela ainda não passou nenhuma informação. Está procurando acertar nossa equipe e deixar o modelo do jeito que ela quer trabalhar com a gente. Acredito que deve nos próximos dias passar alguma coisa e já montar o time que ela vai querer entrar para jogar na esttreia", projetou Chú.

“A gente sabe da importância desses dois jogos, estamos trabalhando para poder executar o melhor dentro de campo, mas a gente sabe também da dificuldade dos adversários, por isso estamos trabalhando tanto. Hoje foi um dia bem intensivo”, analisou Bia.

Para Chú, vencer o torneio do Pacaembu pode trazer a confiança necessária para a seleção começar bem a preparação para a Olimpíada de Tóquio, em 2020.

“Essa competição vai ser de suma importância para gerar confiança, porque quando o grupo tem confiança consegue entrar bem, seja qual for o torneio. A gente está trabalhando bastante. Pia não foca só em um setor, foca no conjunto, e com ela fazendo isso o grupo vai conseguir desempenhar melhor para buscar a vitória e o título, que é o mais importante”, completou a atacante.

A seleção feminina volta a treinar na manhã desta quarta-feira, às 10h, no estádio do Pacaembu.

Leia também