“Bem melhor” do que previa, Rodriguinho espera jogar no domingo

O meia Rodriguinho deixou o gramado do estádio de Itaquera, na noite de quarta-feira, reclamando das dores no joelho esquerdo que o incomodam neste início de temporada após anotar um gol na vitória por 2 a 0 sobre a Universidad de Chile. Na reapresentação do elenco alvinegro, porém, o jogador mostrou-se surpreso com a recuperação no local e se colocou à disposição para encarar o Botafogo-SP, no domingo, pela volta das quartas de final do Campeonato Paulista.

“Estou bem melhor do que achei que iria estar”, começou o jogador, que chegou a perder dois jogos recentemente por não conseguir desempenhar o seu futebol da melhor maneira. Por causa disso, aliás, o armador acredita que será importante treinar forte e participar do duelo pelo Estadual para retomar o seu ritmo de jogo.

“As dores estão suportáveis, estou me sentindo bem. Pretendo treinar para melhorar na sexta-feira, retomar um pouco de contato com a bola. Me senti um pouco fora de ritmo (contra a Universidad de Chile), quero evoluir para poder ajudar e vou fazer de tudo para jogar no domingo”, prometeu o jogador, que ainda não sabe se contará com Jadson ao seu lado dentro do gramado.

O jogador, que sentiu um desconforto muscular na coxa esquerd após chutar a bola no segundo gol diante dos chilenos, realizou apenas trabalhos internos na academia do CT Joaquim Grava. A ideia do departamento médico é esperar a evolução da contusão para saber se o armador poderá treinar no campo na atividade de sexta, a penúltima antes do confronto contra o Botinha.

Além dele, a expectativa é pela presença de Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto ao menos como opções no banco de reservas. Ambos ficaram durante praticamente todo o mês de março e têm treinado com os companheiros desde o início desta semana. Nesta quinta, por sinal, Giovanni foi o destaque de um coletivo dos reservas, com assistência para o gol de Carlinhos.

À espera de um companheiro no meio-campo, Rodriguinho não soube dizer qual será o seu tratamento para acabar com as dores no joelho esquerdo. A princípio, uma cirurgia está descartada e o o clube optará por fisioterapia e trabalho de manutenção no local para evitar que o jogador fique fora por um longo período de tempo.

“Se eu adiantar alguma coisa que esteja errada o doutor (Joaquim Grava) vai puxar minha orelha. Estou sentindo algumas dores, a princípio a gente fez só um exame clínico e eles acham que é uma tendinite. Sei que está incomodando bastante, me limita algumas coisas. Estou fazendo de tudo, tratamento para que não precise de cirurgia, algo mais grave. Quero voltar ao ritmo em que eu estava antes”, concluiu o atleta.