Bem na Liberta, Santos e Palmeiras duelam em momentos distintos no Paulista

Considerada a competição mais importante do ano para os clubes brasileiros, a Libertadores não tem sido problema para Santos e Palmeiras. Afinal, os dois venceram seus jogos durante a semana e lideram suas chaves. Porém, quando o papo é o Campeonato Paulista, a situação muda bastante de figura, pelo menos para o Peixe. Enquanto o Verdão também segue no topo do Estadual e está próximo da classificação, os santistas ocupam apenas a terceira colocação do grupo D e correm sério risco de não avançarem para as quartas de final. E para seguirem vivos, os comandados de Dorival Júnior precisam bater o alviverde neste domingo, às 18h30 (de Brasília), na Vila Belmiro.

Porém, o alvinegro tem a seu favor o retrospecto recente contra o rival. Isso porque o clube está há mais de um ano sem perder para o Verdão. Foram quatro duelos em 2016, com três empates em uma vitória para o Peixe. E quando o clássico acontece na Vila Belmiro, a invencibilidade santista é ainda maior. Afinal, a última vitória do Palmeiras dentro de Urbano Caldeira aconteceu em 2011, justamente pelo Paulistão.

E para manter a boa sequência diante do rival e ainda seguir lutando pela classificação, o técnico Dorival Júnior deve manter a mesma equipe que bateu o The Strongest por 2 a 0, na última quinta-feira, pela segunda rodada da fase de grupos de Libertadores.

Para o comandante santista, inclusive, o triunfo sobre os bolivianos foi fundamental para o Peixe recuperar a confiança e buscar a recuperação no torneio estadual, já que o próximo compromisso pela Liberta será apenas no dia 19 de abril, contra o Santa Fe, em Bogotá.

“É preocupante (a situação no Paulista). Não imaginávamos não fazer pontos em dois jogos em casa (contra São Paulo e Ferroviária). Buscamos pontos fora, mas não concretizamos os de casa. Isso causa preocupação. Continuamos pensando no Paulista, sim, e vamos à luta por uma das duas vagas. Temos certeza que iremos buscar pelo espírito de recuperação que estou sentindo”, explicou Dorival.

Como o embate contra o The Strongest aconteceu na última quinta-feira, o Santos teve um dia a menos de preparação para o clássico. O alvinegro fez apenas dois treinamentos antes do duelo com o Verdão e irá definir os titulares após uma conversa com os preparadores físicos.

“Teremos jogo importantíssimo no fim de semana e veremos (sobre a escalação). Os que tiverem em condições estarão em campo, a não ser que tenhamos algum problema”, concluiu o comandante.

O provável Santos para o clássico será formado por: Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.

Palmeiras pode acabar com tabu – Líder do Grupo 5 da Copa Libertadores e vindo de vitória suada contra o Jorge Wilstermann, o Palmeiras agora foca suas atenções no Campeonato Paulista. No topo do Grupo C da competição, o Verdão pode garantir classificação antecipada à fase mata-mata já neste domingo, caso vença o Santos. Se somar os três pontos, a equipe da Barra Funda chega a 21, e pode ser ultrapassado apenas pelo Novorizontino, que, se vencer todos os jogos até o final da primeira fase, chega a 22.

A tarefa, no entanto, não será das mais fáceis. A última vitória do Palmeiras contra o rival, em jogos do Campeonato Paulista, atuando na Vila Belmiro, aconteceu no dia três de abril de 2011, quando o atacante Kléber “Gladiador” balançou as redes. O técnico Eduardo Batista avalia o clássico contra o Peixe como determinante para o futuro da temporada.

“O clássico é importante e temos necessidade de ganhar. Faz um tempo que o Palmeiras não ganha na Vila Belmiro. Em abril, teremos as quartas e as semifinais (do Campeonato Paulista) e mais dois jogos pela Libertadores. Estamos nos preparando para atingir os objetivos traçados para o primeiro semestre”, afirmou o comandante.

Para tentar quebrar o tabu e se classificar antecipadamente para as quartas de final, o técnico Eduardo Batista deve entrar em campo com força máxima. O treinador, que segue com mais tranquilidade no comando do Verdão, não deve poupar seus principais jogadores para o duelo deste domingo.

“A ideia é colocar quem estiver melhor. Se tiver risco de perder algum jogador, vamos pesar isso, embora tenhamos um dia a mais de descanso para recuperar os jogadores, diferentemente do jogo contra o São Paulo. A partida contra o Santos vai ser encarada como as partidas contra Tucumán, São Paulo e Jorge Wilstermann”, avaliou.

O único desfalque certo para o clássico é o zagueiro Vitor Hugo. Suspenso por dois jogos no Paulistão por conta da cotovelada que acertou no zagueiro corintiano Pablo, na derrota por 1 a 0, o palmeirense segue de fora do time. O principal nome para assumir sua vaga é o experiente Edu Dracena, que formou dupla de zaga com o colombiano Yerry Mina na última partida do time.

Nos últimos treinamentos da equipe, Eduardo não deu esboços do time que deve entrar em campo, na Vila Belmiro. No entanto, o comandante deve apresentar força máxima, e escalar: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Yerry Mina e Zé Roberto; Felipe Melo, Tchê Tchê, Michel Bastos, Alejandro Guerra e Dudu; Borja.

FICHA TÉCNICA

SANTOS X PALMEIRAS

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)

Data: 19 de março de 2017, domingo

Horário: 18h30 (de Brasília)

Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza

Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo

SANTOS: Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira

Técnico: Dorival Júnior

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Yerry Mina e Zé Roberto; Felipe Melo, Tchê Tchê, Michel Bastos, Alejandro Guerra e Dudu; Borga

Técnico: Eduardo Baptista