"Bem, Amigos simpático" investe em Abel Neto e em radialista da Globo

Juliana Damasceno

Já é fato: com Luiz Roberto no comanda – exímio conhecedor de música popular brasileira, inclusive – o “Bem, Amigos” das segundas-feiras fica bem mais leve. E talvez fosse esse mesmo o intuito do programa, após uma semana de seleção brasileira e a tensão ao vivo de Galvão Bueno com mais um desafio de Tite e seus rapazes.

Mas o que chamou mesmo a atenção ontem, além da comemoração de 17 anos de Globo de Abel Neto, que participou sorridente da bancada, foi a presença de Ana Thaís Matos, radialista da Rádio Globo de São Paulo e que cobre o Palmeiras há três anos.

Ao lado de Muricy Ramalho e rodeada por figurões (homens) do futebol, Ana mostrou-se muito à vontade e segura de suas firmes intervenções – e ajudou a dar um pouco de leveza ao programa, sempre tão masculino e pesado.

Há um ano, Ana Thaís sofria com os ataques de torcedores palmeirenses na Internet, por conta de sua preferência futebolística – o que, aparentemente, em nada afeta seu trabalho. Já mostrou isso, inclusive. E seguiu firme como setorista do clube. No programa de ontem, inclusive, citou estar “numa fase de sorte”, com as conquistas que o Palmeiras vêm colecionando nos últimos anos. E parecia bastante confortável com isso.

Ana também participa eventualmente do “Seleção Sportv”, o debate da tarde ancorado por Marcelo Barreto. Mas, disse ao Yahoo Esportes que não tem planos para migrar de veículo, a médio prazo.

– Sobre a TV, não adianta estar nos meus planos, tem que estar nos planos dos diretores das TVs. Todo mundo fala “por que você não vai pra TV?” ou “quando você vai pra TV de vez?”. Eu digo que eu sou feliz fazendo rádio pela liberdade do ao vivo. Mas as coisas estão mudando e, hoje, a TV fechada está ao vivo o tempo todo e em todos o lugares, com notícia quente e dia a dia. Então as pessoas associam rapidamente “ela faz isso no rádio e vai fazer isso também na TV. Mas eu amo o rádio”, comentou.