Belfort x Anderson 2? 'Fenômeno' aceita, mas com uma condição

Luta em pé: No MMA moderno quem não treina de tudo está fadado à derrota, certo? Pois bem, essa ainda não era a realidade do esporte quando Vitor iniciou no octógono, fato que não o impediu de se aperfeiçoar na luta em pé. Morando nos EUA, Belfort se distanciou um pouco da alcunha de "creonte" (traidor) dada aos atletas brasileiros que praticavam outras modalidades fora do jiu-jitsu. Desta forma, ele foi o primeiro nome da arte suave a trocar golpes em pé em igualdade de condições com especialistas da área. Ponto importantíssimo para sua carreira - Erik Engelhart

O dia 6 de fevereiro de 2011 foi histórico para o MMA internacional e, principalmente, para o Brasil. Foi nesta data que dois dos principais ícones do esporte se enfrentaram no UFC 126, quando Anderson Silva nocauteou Vitor Belfort com um belíssimo chute frontal que ficou marcado para a história das artes marciais mistas. É claro que durante esses mais de seis anos muito se falou de uma possível revanche, e ela pode realmente acontecer.

Quem garantiu isso foi o próprio Vitor Belfort. Em entrevista exclusiva à Ag. Fight, o ‘Fenômeno’ que anunciou no último domingo a vontade de fazer sua última luta válida pelo atual contrato com o Ultimate e não mais subir no octógono – ao menos nos moldes atuais – falou sobre o tema.

“Estamos vindo em momentos na carreira diferentes. Não tenho interesse nem que fosse no Brasil. Ele vem de quantas lutas sem vencer? Sete?* A gente passou por uma fase difícil. Acho que vai chegando a idade, né? Mas não vejo essa luta acontecendo. Ela só rolaria na Liga das Lendas mesmo. Aí veria sentido”, afirmou o carioca.

“Eu e o Anderson (lutando para valer) eu não tenho interesse nenhum. Acho que comercialmente é a luta que todo mundo quer ver, mas acho que se tivesse uma categoria das lendas teria algo que seria interessante nessa luta. Mas tirando isso eu não vejo como essa luta pode ser financeiramente interessante para os dois. Se houvesse uma categoria das lendas, eu poderia enfrentar o Anderson, assim como o Matt Hughes poderia enfrentar o BJ Penn, o Forrest Griffin fazer a revanche com o Stephan Bonnar e até mesmo o Renzo Gracie lutando com o Wallid Ismail”, completou.

A tal ‘Liga das Lendas’ é uma ideia trazida pelo próprio Belfort, que defende que atletas já aposentados ou perto de encerrar a carreira possam atuar dentro do octógono, mas com regras diferentes. Os rounds seriam mais curtos, as luvas um pouco maiores e não valeriam golpes como cotoveladas e joelhadas. Nestes moldes, o Fenômeno estaria disposto a continuar entrando em ação.

“Acho que os lutadores mais velhos merecem uma liga para eles. Porque eles querem lutar. Eu quero lutar. Mas não posso ficar lutando com uma garotada tão jovem. Para mim, perder peso já é tão difícil… Na categoria das lendas, as lendas poderiam desafiar os mais jovens, mas nas regras da categoria das lendas”, explicou.

Vitor Belfort tem 39 anos e perdeu no último sábado (11) para Kelvin Gastelum na luta principal do UFC Fortaleza. E nessa última terça-feira, o Ultimate anunciou que o mesmo Gastelum enfrentará Anderson Silva no UFC 212, no Rio de Janeiro.

*Nota da redação: Anderson Silva passou por cinco lutas sem vencer, com quatro derrotas e uma vitória que depois foi oficializada como sem resultado por conta do doping do brasileiro. Em sua última apresentação, Spider acabou com a sequência ruim e venceu Derek Brunson na decisão dos juízes.