Bebeto revela trauma com os 7 a 1, apoia Tite e fala do Brasil na Copa da Rússia

Um dos maiores jogadores da história da Seleção Brasileira, Bebeto tem uma carreira vencedora, por onde passou marcou muitos gols, conquistou títulos e, claro, com a camisa Verde-Amarela não foi diferente. Ao lado de Romário, conduziu a Canarinho no tetracampeonato mundial em 1994, depois de 24 anos sem faturar a taça. 

Com um currículo tão vencedor, principalmente se tratando de Seleção Brasileira, Bebeto não esquece o vexame para a Alemanha na Copa do Mundo de 2014. O ex-atacante revelou que ficou traumatizado com os 7 a 1 mas ressaltou que Tite resgatou a credibilidade do Brasil.

VEJA TAMBÉM:
Cavani e PSG estudam novo contrato | "Falta fome de gol para CR7"Klopp revela 'sofrimento' de Coutinho

"Depois daquela derrota contra a Alemanha que eu não esqueço, fiquei um pouco traumatizado com aquilo mas eu acho que Tite resgatou essa credibilidade que a gente tinha perdido um pouco, essa coisa do comprometimento, você sente os jogadores querendo, lutando pelos objetivos das vitórias, conquistas e só está começando, tem muita coisa ainda, tem a Copa do Mundo ai".

Schurrle Brasil x Alemanha Copa 2014


(Foto: Getty Images)

Com oito vitórias em oito jogos pelas Eliminatórias, o técnico Tite está nos braços do povo brasileiro, apesar disso, Bebeto lembrou que na hora das dificuldades tem que dar tranquilidade ao treinador e deixa lo trabalhar.

"Tem que dar tranquilidade, deixar o Tite trabalhar ele já está formando uma grande Seleção e ele vai continuar com esse trabalho, eu não tenho dúvidas disso, agora deixa o cara trabalhar, tem que ter paciência. No Brasil é essa coisa do imediatismo, que tem que acontecer tudo na mesma hora e não é assim, o futebol precisa de planejamento, paciência, tranquilidade, se deixar ele trabalhar ele vai dar continuidade a isso tudo ai".

Tite Brasil Paraguai 28032017


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

Com o recorde de vitórias seguidas em jogos de Eliminatórias, uma questão vem sendo levatada este ano: será que o Brasil precisa conhecer a derrota antes da Copa do Mundo? A preocupação é sobre como a Seleção vai lidar com o revés e o momento adverso. Mas para Bebeto isso está fora de questão. 

"Não, claro que não, eu quero ganhar todas. Mas acho que aquele jogo contra a Alemanha foi muito atípico, é difícil até de explicar, eu fiquei um pouco traumatizado não estava nem acompnhando a Seleção porque fiquei revoltado. Acho que nem em pelada eu tomei de 7 na minha vida ainda mais numa semifinal de Copa do Mundo com o Brasil jogando em casa eu não gosto nem de lembrar, marcou, e quando falar de Copa todo mundo vai lembrar dessa semifinal. Ainda falaram que a Alemanha tirou o pé para não fazer mais gols no Brasil, isso aí é de doer, um cara que sempre foi vencedor, sempre fui um cara que entrou em campo para ganhar a escutar isso é muito".

Com Neymar e Coutinho liderança a Seleção, o Brasil vem apresentando um futebol vistoso, técnico e enchendo os olhos do torcedor. A sintonia da dupla vem de outros tempos, desde que atuavam juntos pelas seleções de base. Questionado se eles lembram a dupla Bebeto e Romário, o ex-camisa 7 não fez comparações mas garantiu torcer por eles.

Bebeto Romario


(Foto: Getty Images)

"Eu acho que ainda falta muito, aquela dupla ali Bebeto e Romário vai demorar, ali acho que era coisa de Deus, o Coutinho é um jogador que atua no meia, Romário era matador, a gente se entendia perfeitamente, vai demorar. Eu torço que eles conquistem muita coisa pelo Brasil e façam uma grande dupla. Mas estão começando ainda. Bebeto e Romário sem dúvida nenhuma uma das maiores duplas de todos os tempos".

Por fim, Bebeto não quis colocar o Brasil como favorito na Copa da Rússia mas ressaltou que o Brasil sempre entra como forte candidato ao título em qualquer mundial que dispute.

"Eu acho que sem essa de favoritismo, vamos continuar caladinhos, pouco a pouco, porque eu acho que temos uma grande Seleção. Mas claro, o Brasil quando entra para disputar um Mundial entra sempre como forte candidato ao título mas tem muita coisa pela frente, Copa do Mundo é diferente".