Bauza garante não temer demissão: "Nada nem ninguém me abala"

La Paz, 28 mar (EFE).- Cada vez mais pressionado à frente da seleção da Argentina, o técnico Edgardo Bauza garantiu nesta terça-feira, após a derrota para a Bolívia por 2 a 0 em La Paz, pela 14ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, que não se sente pressionado.

"Nada nem ninguém me abala. Os jogadores e eu estamos firmes. Cada partida tem suas dificuldades, e a luta continuará", declarou 'Patón' Bauza em entrevista coletiva após o revés no estádio Hernando Siles, em La Paz.

O ex-treinador do São Paulo disse contar com o apoio dos dirigentes e dos jogadores e destacou que todos agora estão com a mente voltada para as quatro partidas que restam pela classificatória sul-americana.

"Eu me sinto bem, e nas vezes em que falei com os dirigentes, senti respaldo. O que também cresceu da primeira partida até esta é a relação com os jogadores. Melhorou muito, e pensamos no que está por vir", afirmou.

A situação da bicampeã mundial, que já não fácil, ficou mais difícil na manhã desta terça, quando a Fifa anunciou uma suspensão de quatro jogos para Lionel Messi, a começar pelo duelo com a Bolívia. Até agora, com o astro, a 'Albiceleste' soma cinco vitórias e uma derrota nas Eliminatórias. Sem ele, houve um triunfo, quatro igualdades, e o de hoje foi o terceiro revés.

"Nem houve tempo para trabalharmos com outro jogador", lamentou Bauza, que, contudo, não joga a toalha. "Sabemos que esta vai ser uma luta, e vamos continuar brigando. Estamos vivos e com muita vontade de poder classificar para a Copa. É o que queremos", finalizou. EFE