Batida de Bottas e Russell pode afetar planos de desenvolvimento da Mercedes, diz Wolff

Alan Baldwin
·1 minuto de leitura
Valtteri Bottas, da Mercedes, e George Russell, da Williams, no GP da Emília-Romagna de F1

Por Alan Baldwin

(Reuters) - A colisão entre Valtteri Bottas e George Russell no Grande Prêmio da Emília-Romagna de Fórmula 1 no domingo pode afetar os planos da Mercedes na hora de desenvolver o carro da equipe nesta temporada, de acordo com o chefe da escuderia, Toto Wolff.

O choque em alta velocidade no circuito italiano de Imola destruiu a Mercedes de Bottas e a Williams de Russell, mas nenhum dos pilotos ficou ferido. Fiscais declararam a colisão um incidente de corrida.

"A situação toda não é nem um pouco divertida para nós, para ser sincero", disse Wolff a repórteres.

"É um desvio e tanto. Nosso carro sofreu perda total em um ambiente com teto de gastos; isto certamente não é o que precisávamos. E provavelmente limitará os aprimoramentos que conseguimos fazer".

"Estamos muito apertados com o teto de gastos, e o que sempre tememos era a perda total de um carro. Este não será uma perda total, mas quase, e isso não é algo que queríamos".

A F1 adotou um teto de gastos de 145 milhões de dólares nesta temporada, e a campeã Mercedes, uma das maiores equipes, teve que reduzir as despesas consideravelmente -- embora o teto não inclua os salários dos pilotos.

Russell, de 23 anos, substituiu Lewis Hamilton no Barein no ano passado quando o heptacampeão foi diagnosticado com Covid-19, e o astro em ascensão é visto como um piloto futuro da Mercedes.

(Por Alan Baldwin, em Londres)