'Batalha de Itu' pode ter marcado a despedida de Nenê, mas clube ainda tem planos para o Vovô


A vitória do Vasco sobre o Ituano por 1 a 0 possivelmente foi o último jogo de Nenê com a Cruz de Malta no peito. O camisa 10 foi o autor do gol que sacramentou o acesso para a Série A, um encerramento lindo para uma trajetória de muita entrega e identificação com o Cruz-Maltino. O jogador, que tem contrato até o final do ano, deixou claro que gostaria de ficar, mas entende que a missão foi cumprida.

Nenê
Nenê

Nenê marcou o gol do acesso do Vasco (Daniel RAMALHO/VASCO)

- Por mim eu continuo ainda até onde der. Foi um sentimento de muita alegria, dever cumprido. Consegui cumprir com a promessa que fiz quando eu vim para cá. Eu amo esse clube de coração e ter participado desse acesso, ainda mais no último dia, realmente não tem preço. De coração, vai ficar para sempre na memória.

O martelo pela saída de Nenê ainda não está batido. O Vasco pretende conversar para entender os planos do jogador para o futuro. A diretoria quer manter uma base, pelo menos até o final do primeiro semestre de 2023. Vale destacar que muitos jogadores também estão em final de contrato e deixarão o elenco. Portanto existe a possibilidade de oferecer um contrato curto para o veterano de 41 anos.

+ Confira quem subiu e quem caiu na Série B

No entanto, o sentimento é de que Nenê cumpriu a missão pelo Vasco e dificilmente aceitará uma proposta para renovar por seis meses. O camisa 10 pretende seguir jogando e recebeu sondagem do técnico Renato Gaúcho, que está no Grêmio, mas ainda não renovou para o ano que vem. O treinador aguarda o resultado da eleição presidencial, que acontece no próximo dia 12. Alberto Guerra e Odorico Roman estão na disputa.

Nenê soma 191 jogos pelo Vasco, clube que mais defendeu na carreira. Pelo Cruz-Maltino, o meia é o vice-artilheiro no Século 21, com 60 gols, atrás apenas do Romário, que marcou 131. Quando o assunto é assistências, o jogador é o líder disparado no período com 49 passes decisivos.