Bastidores: departamento de futebol espera explicações de Landim sobre saída de Pelaipe

Em meio ao planejamento e a busca por reforços para 2020, o Flamengo sofreu uma importante baixa no departamento de futebol. Nesta segunda-feira(08), Paulo Pelaipe, gerente do setor, foi comunicado que não teria o contrato renovado, sendo assim, desligado do clube. 

O Flamengo começou o ano de 2019 cheio de reforços e colheu os frutos ao longo do ano, sagrando-se campeão da Copa Libertadores e do Campeonato Brasileiro. Para 2020, diretoria e torcedores esperam um cenário semelhante, mantendo os nomes que estão no clube e também contratando outros jogadores para que a temporada seja novamente com conquistas e bom desempenho dentro de campo.

A saída do dirigente não teve participação do conselho de futebol, formado por Dekko Roismann, Diogo Lemos, Fabio Palmer, Bruno Spindel e o vice-presidente Marcos Braz. Nenhum deles ou consultados ou estavam cientes do desligamento do gaúcho, que assinaria o novo contrato nesta terça(07), no Ninho do Urubu. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A saída de Paulo Pelaipe, portanto, não foi uma decisão direta do futebol, partiu de iniciativas do vice-presidente de relações externas, Luiz Eduardo Baptista, com apoio do presidente Rodolfo Landim. O mandatário, inclusive, está de férias, fora do Rio de Janeiro e vai antecipar o retorno para tentar conter a tensão política. 

Paulo Pelaipe Diretor de Futebol Flamengo 2014
Paulo Pelaipe Diretor de Futebol Flamengo 2014

(Foto: Flamengo / Divulgação)

Internamente, o episódio do entrave das premiações justamente no dia da final do Mundial de Clubes, que vazou para a imprensa, causou um mal estar grande. Essa foi a principal justificativa utilizada para o desligamento de Pelaipe. O ex-gerente adotou o silêncio e vai esperar o Flamengo se manifestar oficialmente para fazer o mesmo. 

Paulo Pelaipe era muito próximo de Marcos Braz, considerado o seu braço direito no dia a dia do futebol e mantinha uma ótima relação com Jorge Jesus. Recentemente, ele foi sondado pelo Palmeiras, com a possibilidade de assumir o cargo de diretor, mas deixou claro que gostaria de seguir trabalhando como gerente no Flamengo. 

O QUE É O CONSELHO DO FUTEBOL?

Com a ideia de descentralizar as decisões e tirar o peso de uma única pessoa, a gestão Rodolfo Landim iniciou com a proposta do conselho do futebol, formado pelo vice-presidente da pasta, Marcos Braz, o diretor, Bruno Spindel, o diretor de relações externas Luiz Eduardo Baptista e os sócios Dekko Roismann, Diogo Lemos e Fabio Palmer. 

Atuante principalmente no debate sobre reforços e carências da equipe, o conselho conviveu de forma pacífica, mesmo com algumas divergentes durante o ano. A primeira delas foi a respeito da saída do técnico Abel Braga. Ele se manteve por mais tempo no cargo porque foi segurado por BAP. 

MAS QUEM É O BAP?

Atual vice-presidente de relações externas do clube, BAP é uma voz importante na gestão Rodolfo Landim. Foi ele um dos principais idealizadores da "chapa azul" que concorreu ao pleito em dezembro de 2012. Além de ter vasta experiência em assuntos empresariais e de marketing, ele gosta de atuar no futebol Rubro-Negro. Por vezes, bate de frente com decisões de Marcos Braz, vice-presidente de futebol. 

A CANETA É DO LANDIM!

Apesar da forte influência de BAP, pelos corredores da Gávea, há uma certeza: a caneta é o Landim. O presidente foi quem deu o aval para a saída de Pelaipe e é ele quem precisará tomar uma atitude e explicar os motivos para seus aliados.

Leia também