Barroca reconhece atuação ruim do Botafogo: 'Jogo ficou confortável para o Corinthians'

LANCE!
·3 minuto de leitura


Uma tarde de pouca inspiração para o Botafogo. Quem reconheceu isto foi Eduardo Barroca, treinador do Glorioso. Em entrevista coletiva após a derrota por 2 a 0 para o Corinthians neste domingo, no Estádio Nilton Santos, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, o técnico elogiou a atuação do Timão e reconheceu aspectos negativos na própria equipe.

- O Botafogo até teve uma chance aos 10 segundos. Na minha opinião até o gol do Cazares o jogo estava equilibrado. O Botafogo não teve um jogo ofensivo bom, precisamos reconhecer isso, mas até o gol o Corinthians também não tinha tido. Após o gol o jogo ficou mais confortável. No segundo tempo a gente precisou se abrir, fizemos todas as tentativas para dar uma condição de ser mais ofensivo, mas o jogo ficou confortável para o Corinthians. Tivemos problemas para criar porque o Corinthians, com a equipe experiente, fez com que a gente ficasse com desgaste físicos, a bola não queimou no pé deles - analisou o treinador.

Barroca reconheceu que o Botafogo não conseguiu reagir ao gol marcado por Juan Cazares, aos 34 minutos do primeiro tempo. O treinador afirmou que a equipe fez uma partida aquém do esperado, sem dar uma resposta à estratégia do Corinthians.

- Com certeza não faltou determinação. A gente começou o jogo pressionando, roubamos bola no campo de ataque, mas, obviamente, o Corinthians tem bons jogadores. Depois da vantagem, conseguiu jogar mais confortável. Por questão coletiva, quebrou o jogo, aproveitou o ímpeto de a gente tentar buscar o empate. A gente teve até algumas poucas oportunidades para gerar o empate, mas muito pouco, muito aquém - completou.

MAIS ASPAS DE BARROCA:

Victor Luís e Warley no ataque
- A ideia era uma manutenção da equipe que fez uma boa partida contra o Coritiba, principalmente a linha defensiva. O Victor vinha de uma suspensão, jogador experiente, nos daria a possibilidade de uma dobra no lado esquerdo para neutralizar Gustavo Mosquito e Fagner. O fato de a gente ter sofrido um gol no primeiro tempo fez com que eu mudasse para a equipe ter uma profundidade maior, aí as opções na trocas no intervalo.

Mudanças no time titular
- Nesses jogos que eu estou à frente tivemos suspensões. A gente nem tem alternado a questão da formação e uma alternância para segundo tempo tendo que buscar resultado. A quantidade de jogadores utilizados diz muito sobre a necessidade como técnico de encontrar como técnico que nos dê consistência de repetição de equipe. Vou continuar buscando todas as alternativas, eu confio muito na equipe. Entendo que a situação é muito adversa, eu como treinador estou aqui para assumir toda a responsabilidade desse resultado.

Parte tática
- Achei que até o gol do Corinthians o jogo estava equilibrado. Nossa ideia era tentar usar o Warley e o Victor atacando a linha de quatro do Corinthians, mas eles controlaram bem. Acabou que ficamos com a bola em uma zona central, trocando passes e com dificuldade de ter uma profundidade em uma passe mais vertical. Depois do primeiro gol fiz imediatamente uma primeira troca para um jogo com dois atacantes. A gente acabou fazendo um jogo mais direto, mas não ganhamos muitos duelos no jogo de hoje. Tentamos de todas as formas, mas não foi suficiente. Mérito do Corinthians e aprendizado para a gente.