Barco mais moderno do Brasil será lançado na Semana de Ilhabela

·6 minuto de leitura


O novo Phoenix fará sua estreia na Semana Internacional de Vela de Ilhabela, evento marcado de 24 a 31 de julho, no Yacht Club de Ilhabela (YCI). O barco de 44 pés é apontado por especialistas em vela oceânica como um dos melhores projetos feitos no País, misturando velocidade e tecnologia a bordo.

O veleiro é um Botin 44 construído todo em carbono pelo estaleiro ML Boats, em Indaiatuba (SP) e que teve como projetista a Botin Partners Naval Architecture. A construção começou em 2019, pouco antes da pandemia de Covid-19, e agora está em processo final de ajustes no Iate Clube de Santos, no Guarujá (SP), sob o comando do atleta olímpico André Fonseca e de Sérgio Rocha.

Apesar do tamanho, a embarcação deve pesar no máximo 5.300 quilos. O mastro instalado é de 21,75 metros. As duas rodas de leme e o grinder devem ajudar os tripulantes a fazer manobras mais rápidas. O tamanho da área vélica deve chamar a atenção em Ilhabela (SP), principalmente com a vela balão, àquela utilizada em ventos de popa.

Na Semana de Vela de Ilhabela, o Phoenix vai medir na classe ORC e terá sob seu comando Eduardo Souza Ramos, o maior vencedor da competição em Ilhabela com 11 títulos divididos em barcos como Phoenix e Pajero.

- Torcendo para que o barco fique pronto. Os finalmentes sempre são muito imprevisíveis e são muitos, Estamos ansiosos para velejar. O espírito que me levou a esse barco é ter um veleiro prazeiroso, agradável no velejar em ventos médios, de popa e de través. Consegui depois de muitos anos ter roda de leme, o que me dá um conforto maior em barcos rápidos. É bom de andar e navegar - disse Eduardo Souza Ramos.

A tripulação do Phoenix é a atual campeã da Semana Internacional de Vela de Ilhabela. Na última edição, disputada em 2019, o Pajero - um Soto40 - foi o campeão da categoria e teve o melhor desempenho entre todos os 123 participantes.

Outro destaque do Phoenix é o grinder - peça que parece uma manivela - e será usado para subir e descer as velas, principalmente para baixar o balão. É um sistema bastante importante numa regata, já que ajudará o tático a decidir as manobras nos últimos segundos.

A tecnologia para evitar que os cabos fique espalhados no meio do veleiro e o sistema elétrico também foram adaptados para os melhores resultados da equipe mais profissional de vela do País.

Nos próximos dias, a equipe do Phoenix fará o batismo do veleiro e os testes na água com as velas. Até a viagem para Ilhabela desde Santos, a equipe de terra do Phoenix ficará praticamente 24 horas por dia em função da montagem do veleiro.

Além da ORC, a 48ª edição da Semana Internacional de Vela de Ilhabela está aberta às classes RGS, Bico de Proa, Clássicos, C30 e HPE25.

Velejadores profissionais, olímpicos e amadores tradicionalmente correm as regatas, que marcam o grande encontro anual da modalidade na América do Sul. Em 2021, todas as atividades relacionadas ao evento atenderão aos protocolos de segurança oficiais relacionados à Covid-19. As inscrições estão abertas por meio do site www.sivihabela.com.br.

- A estreia do Phoenix será um marco para a modalidade e principalmente para a Semana Internacional de Vela de Ilhabela. A expectativa entre os velejadores é enorme e certamente vai chamar atenção de todos nessa retomada das regatas - comemorou Mauro Dottori, diretor de vela do Yacht Club de Ilhabela (YCI) e organizador do evento.

Velocidade pura

Antes de correr as primeiras regatas, é difícil apontar a velocidade final do barco, mas pela quantidade de área vélica e peso - pouco para um 44 pés - a tendência é que o Phoenix seja muito rápido. Foi essa a ideia do projeto, que para alguns integrantes da equipe é uma versão brasileira do TP52, da campanha de Eduardo Souza Ramos na Europa em anos anteriores.

O Phoenix está qualificado até para a disputa do Mundial de ORC, que é considerado o maior evento de oceano do mundo. Há um similar ao Botin 44 nos Estados Unidos chamado Interlodge 4, que disputa as principais competições do Hemisfério Norte. Assim com o time norte-americano, o barco brasileiro terá uma tripulação profissional, que não estará 100% completa na Semana de Vela de Ilhabela por causa da Olimpíada de Tóquio, que é no mesmo período.

Tático do Phoenix, o atleta olímpico e com três participações na The Ocean Race, André Fonseca, quer fazer história na nova versão do Phoenix.

- É um barco de performance desenhado para velocidade e nem sempre para handicap. Queremos ganhar grandes velocidades, quem sabe quebrar recordes, principalmente da Alcatrazes. A gente sabe se pegar uma condição boa de vento temos condições de bater essa marca e também de outras no Brasil - disse André Fonseca.

A melhor marca da Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil é do veleiro gaúcho Crioula, que fez o percurso de 55 milhas em 6 horas, 1 minuto e 42 segundos no ano de 2017. O recorde anterior era do Camiranga, um Soto65, com 6 horas, 4 minutos 03 segundos, em 2015.

Em 2021, a regata Alcatrazes por Boreste Marinha do Brasil novamente abrirá o calendário de provas da Semana Internacional de Vela de Ilhabela no dia 21 de julho. No mesmo dias largam também a Toque-Toque e Renato Frankenthal.

- É puro carbono! Nem pintamos para não ter peso no barco. A cada dia é um gol. Estamos trabalhando das oito da manhã às oito da noite para conseguir chegar a tempo - concluiu Sergio Rocha, um dos responsáveis pelo projeto.

Faça o tour pelo barco

Phoenix em números

Projetista: Botin Partners Naval Architecture

Projeto: Botin44

LOA: 13,40m

Boca: 4,10m

Calado: 3,15m

Mastro: Axxon

Comprimento: 21,75m

Inscrições

As inscrições para a 48ª edição da Semana Internacional de Ilhabela estão abertas para as regatas de 24 a 31 de julho no Yacht Club de Ilhabela (YCI), em parceria com a Prefeitura de Ilhabela. As inscrições são feitas pelo site www.sivilhabela.com.br para os veleiros nas categorias ORC, RGS, Bico de Proa, Clássicos, C30 e HPE25.

O acesso ao Sistema de Inscrições está disponível desde 18 de junho até o dia 19 de julho. O valor do pagamento da taxa de inscrição do veleiro será definido no momento da inscrição. O simples cadastramento não garante nenhuma faixa de valor e sua inscrição só será efetivada após a quitação da inscrição.

O valor da inscrição será calculado pelo tamanho do barco. Veja na tabela abaixo:

Até 25 pés - R$ 400

Até 26 a 28 pés - R$ 500

De 29 até 32 pés - R$ 600

De 33 até 40 pés - R$ 700

De 41 até 46 pés - R$ 1.000

Acima de 47 pés - R$ 1.200

A última regata presencial foi realizada em 2019 com mais de 120 veleiros de todo o País e nações vizinhas. O evento em sua versão virtual teve realização do Yacht Club de Ilhabela e organização da Tribu Live Marketing e Full Time Eventos e Turismo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos