Com 1º tempo impecável, Liverpool atropela City e se aproxima das semifinais

EFE

Liverpool, 4 abr (EFE).- Com três gols em um primeiro tempo irrepreensível, o Liverpool colocou um pé nas semifinais da Liga dos Campeões nesta quarta-feira ao vencer o Manchester City por 3 a 0 em casa, no estádio Anfield Road, tornando-se o primeiro time a bater os comandados de Josep Guardiola duas vezes nesta temporada.

O City vem dominando o futebol em âmbito local, com o título da Copa da Liga Inglesa e um amplo domínio na 'Premier League', em que é líder com 16 pontos de vantagem para o segundo colocado.

Entretanto, os 'Reds' vêm sendo a "kriptonita" do time de Guardiola, pois já havia sido o primeiro a derrotá-lo no Campeonato Inglês, com um 4 a 3 em janeiro, e agora o bateu de maneira contundente pela 'Champions'. Salah, Oxlade-Chamberlain e Mané fizeram um gol cada.

Na luta para se colocar entre os quatro melhores do continente pela primeira vez desde o vice-campeonato de 2007, o Liverpool poderá perder por três gols de diferença na volta, na próxima terça, no Etihad Stadium, desde que balance a rede. Já o City precisará de uma goleada por ao menos quatro de vantagem ou devolver o 3 a 0 e resolver na prorrogação.

Os 'Reds' não contaram com o zagueiro camaronês Joel Matip e o meia inglês Adam Lallana, que sofreram lesões que os tirarão do restante da temporada. Nos 'Citizens', a principal baixa foi o atacante Agüero, que machucou o joelho esquerdo e deu lugar ao volante Gündogan. Com isso, De Bruyne atuou mais adiantado.

Quanto aos brasileiros, o atacante Roberto Firmino foi mais uma vez titular dos donos da casa. Entre os visitantes, o goleiro Ederson, o volante Fernandinho e o atacante Gabriel Jesus começaram jogando, enquanto o lateral Danilo foi reserva.

O primeiro lance de perigo da partida foi do City, aos seis minutos de partida, com Sané, que deixou nada menos que quatro marcadores para trás e chutou cruzado para fora.

O lance, no entanto, foi isolado, e o Liverpool, demonstrando mais vontade que o adversário, foi construindo uma boa vantagem no primeiro tempo. Aos 12 minutos, Salah disparou um pouco à frente da linha divisória, em condição duvidosa, e passou para Firmino, que cortou Walker e bateu. Ederson deu rebote, e o próprio Walker recolheu, mas cochilou e perdeu para o atacante brasileiro, que passou para o egípcio abrir o placar.

O campeão da Copa da Liga Inglesa deste ano poderia ter empatado dois minutos depois, em descida em velocidade de Sané pelo meio. O alemão teve espaço e arriscou de fora da área, mandando rasteiro a centímetros da trave esquerda.

Aos 21 minutos, Oxlade-Chamberlain ensinou a Sané como se faz. Milner ganhou na intermediária de ataque e passou para o camisa 21, que bateu com força a meia altura, também de fora, e fez a bola morrer no canto direito de Ederson, aumentando a vantagem.

Mesmo com dois gols de frente, o apetite do pentacampeão continuava maior que o do rival, que tem como melhor campanha a semifinal de dois anos atrás. Aos 31, Salah avançou pela direita e chutou em cima da marcação. Na sobra, o atleta africano levantou na medida para Sané fazer o terceiro de cabeça.

A direita do ataque do Liverpool explorava o improvisado Laporte, que é zagueiro e jogou de lateral, mas a esquerda também criava. Aos 40, Mané entortou Otamendi e tentou acionar Firmino, mas Fernandinho cortou de maneira providencial. Mais tarde, aos 47, depois de levantamento da esquerda, Van Dijk cabeceou perigosamente para fora.

A equipe dirigida por Josep Guardiola voltou do intervalo pressionando e teve uma boa chance aos sete minutos da etapa final. Fernandinho fez o passe por elevação nas costas da zaga e Sané emendou de primeira pela linha de fundo.

Principal jogador dos donos da casa na temporada e peça importante na partida desta quarta por ser uma válvula de escape nos contra-ataques, Salah deixou o gramado pouco depois sentindo a virilha e foi trocado por Wijnaldum. Já Guardiola colocou Sterling, cria dos 'Reds', em lugar de Gündogan.

Aos poucos, o duelo se transformou em um treino de ataque, mas a tão criticada defesa do Liverpool se segurou. Aos 17, Fernandinho colocou na área para Sterling, que, impedido, pegou muito mal na bola. Em seguida, aos 23, Otamendi ganhou pelo alto depois do escanteio, mas encobriu a meta.

A equipe da casa enfim saiu das cordas e levou perigo no setor ofensivo aos 26, com Solanke, que entrara na vaga de Firmino instantes antes. O jovem centroavante inglês ganhou no fundo pela direita e rolou para a chegada de Mané, que foi travado por Walker.

O City respondeu três minutos depois, quando Sterling acelerou pela direita e cruzou a meia altura para Gabriel Jesus. O brasileiro tentou um voleio, mas errou por muito.

Na parte final do jogo, a equipe de Manchester montou acampamento no campo do adversário, mas o Liverpool teve competência para se segurar. A rede do goleiro Karius até chegou a balançar, aos 39 minutos, quando Sané bateu cruzado e Jesus completou para o gol. Contudo, a arbitragem assinalou impedimento na origem da jogada.


Ficha técnica:.

Liverpool: Karius; Alexander-Arnold, Lovren, Van Dijk e Robertson; Henderson, Milner e Oxlade-Chamberlain (Moreno); Mané, Salah (Wijnaldum) e Roberto Firmino (Solanke). Técnico: Jürgen Klopp.

Manchester City: Ederson; Walker, Kompany, Otamendi e Laporte; Fernandinho, Gündogan (Sterling) e David Silva; De Bruyne, Sané e Gabriel Jesus. Técnico: Josep Guardiola.

Árbitro: Felix Brych (Alemanha), auxiliado pelos compatriotas Mark Borsch e Stefan Lupp.

Cartões amarelos: Henderson (Liverpool); Otamendi, Gabriel Jesus e De Bruyne (Manchester City).

Gols: Salah, Oxlade-Chamberlain e Mané (Liverpool).

Estádio: Anfield, em Liverpool (Inglaterra). EFE


Leia também