Barcelona: acordo prevê que jogadores não recebam em janeiro para 'salvar a temporada'

·1 minuto de leitura
Foto: JOSEP LAGO / STR

Vivendo uma crise política e com as contas afetadas pela pandemia, o Barcelona chegou a um acordo com o elenco para uma redução de salários que permitirá um alívio de 170 milhões de euros ao clube. O acordo prevê que os jogadores não recebam parte dos vencimentos em janeiro, o que, segundo o dirigente Carlos Tusquets, vai 'salvar a temporada'.

Tusquets revelou que a negociação adia o pagamento de 170 milhões de euros previstos para o mês de janeiro, que serão diluídos nos próximos 4 anos. Portanto, os jogadores não vão receber agora os vencimentos referentes a subsídios e prêmios.

Segundo ele, o acordo é suficiente para salvar o momento, mas as contas só ficarão equilibradas de vez quando acontecer a volta do público aos estádios.

— A situação econômica é preocupante. É péssimo, mas há esperança. Quando voltarmos a abrir o estádio, entram 220 milhões sem fazemos nada, 320 milhões só graças aos patrocínios. Entretanto, o taxímetro dos gastos não para. O acordo que temos agora permite encerra a temporada sem problemas de tesouraria. A temporada está salva — explicou o presidente da comissão de gestão do Barceloa, em entrevista à "RAC1".

As eleições no clube estão previstas para o dia 24 de janeiro.