Baptista prepara Palmeiras “aguerrido” para disputar a Libertadores

O Palmeiras não nega que o seu principal objetivo no ano é a conquista da Copa Libertadores da América, para a qual direcionou boa parte de seus investimentos, como as contratações de Alejandro Guerra e Miguel Borja. Para fazer com que o Verdão levante a taça continental pela segunda vez em sua história, o técnico Eduardo Baptista prepara um time com postura aguerrida, no estilo da mais importante competição sul-americana.

“O que a gente vem conversando com os jogadores é sobre ser competitivo, aguerrido, forte, e dentro disso escolher as melhores peças, independente se já jogou Libertadores ou não. Temos jogadores subindo, numa crescente, e olho para esse lado em vez de olhar se já jogou ou não a Libertadores. O Guerra é um jogador importante para a gente, que já jogou Libertadores, se inclui nos dois quesitos”, afirmou o treinador alviverde.

Campeão da edição de 1999, o Palmeiras está no Grupo 5 da Libertadores, integrado também por Peñarol-URU, Jorge Wilstermann-BOL e Atlético Tucumán-ARG. Para avançar ao mata-mata, o que não ocorreu no ano passado, o Verdão precisará se adaptar ao estilo de seus rivais, na avaliação de Baptista.

“Nossa chave tem duas escolas muito parecidas, argentina e uruguaia. Temos conversado com os jogadores para ser viril como eles são. Se precisar ir para o contato, vamos para o contato também. Tem de ter cuidado com provocação, se tiver que fazer a falta, faz e dá as costas, não dá margem para provocação, porque eles vão procurar tirar um jogador nosso do jogo. Com a bola rolando, vamos para o contato. A bola parou, saímos de qualquer confusão”, avaliou.

A estreia do Verdão no torneio acontecerá na próxima quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), contra o Atlético Tucumán-ARG, no Estádio Monumental José Fierro, onde os argentinos buscarão aproveitar o apoio de sua torcida para pressionar a agremiação brasileira. Diante de tal cenário, Baptista quer um Palmeiras com “pegada” para sair da casa adversária com um bom resultado.

“Tem que tomar cuidado com a motivação do Tucumán para isso não ser um fator para eles terem sucesso. Temos de estar mais motivados e concentrados. Se o jogo pender para um lado de mais contato, mais pegada, temos de entrar neste lado. Lógico que com a organização sempre aliada a isso. Num jogo desse não pode achar que só qualidade vai resolver, porque não vai”, alertou o comandante alviverde, garantindo que o Verdão chegará preparado na Argentina, apesar dos desfalques.

“O Palmeiras vai chegar na estreia em condição boa. Lógico que não planejava ter Tchê Tchê e Moisés machucados, mas outros deram resposta boa e chegamos em momento bom. Taticamente, é o que a gente esperava. Fixamos um sistema e criamos variações em cima dele. Isso é importante na Libertadores, porque jogar fora e dentro de casa é diferente”, concluiu.

Antes da estreia na Libertadores, contudo, o Palmeiras tem de enfrentar o Red Bull, nesta sexta-feira, às 21h05 (de Brasília). Passadas seis rodadas, o Verdão lidera o Grupo C do Campeonato Paulista, com 12 pontos.