Banida por doping, Rússia diz que recorrerá contra decisão

Folhapress

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Rússia afirma que irá apelar ao TAS contra a decisão da Wada (Agência Mundial Antidoping) que baniu o esporte do país de todas as competições internacionais por quatro anos, o que incluí os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, e da Copa do Mundo do Qatar, em 2022.

O anúncio foi feito pelo diretor do Conselho Supervisor da agência antidoping russa (Rusada), Alxander Ivlev.

"Após isso, a bola estará na quadra da Wada e a situação vai se desenvolver dentro dos limites legais", disse.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A decisão de enviar uma carta de desacordo à Wada e recorrer à corte foi aprovada pelo conselho nesta quinta-feira (19). A medida ainda precisa ser aprovadas por outras instâncias do esporte russo, o que justifica o prazo dos 15 dias divulgado por Ivlev.

"Diversos argumentos serão usados [na reclamação]", completou.

No dia 9 de dezembro, a Rússia foi banida pela Wada de todas as competições internacionais do esporte por quatro anos com base na acusação de que o país teria usado sua agência de controle ao doping, a Rusada, para fraudar exames de atletas.

O país teria manipulado laboratórios, criado amostras falsas e deletado arquivos de casos positivos de doping no país. Por isso, não poderá participar, por exemplo, da Copa de 2022, ou da Olimpíada do Japão.

Os atletas russos podem recorrer individualmente. Se conseguirem comprovar que não usaram nenhuma substância ilegal, podem conseguir uma autorização para competir sob a bandeira internacional nos Jogos.

Leia também