Balanço do primeiro turno do Brasileirão: veja os destaques positivos e negativos da competição

·5 minuto de leitura


O primeiro turno do Campeonato Brasileiro 2021 chegou ao fim na terça-feira (7), após a vitória do Fluminense diante da Chapecoense e o empate entre Corinthians e Juventude. Porem, algumas equipes ainda não fizeram os 19 jogos, pois houve adiamentos e as partidas serão realizadas mais à frente.

LANCE! elege a seleção do primeiro turno do Brasileirão; veja como ficou!

O Atlético-MG lidera a competição, com 39 pontos em 18 partidas disputadas. No oposto da tabela, a Chapecoense é a lanterna do torneio, com sete pontos em 19 jogos. O Sport, com apenas oito gols marcados, possui o pior ataque até aqui, e o Galo, com 13 gols sofridos, carrega a defesa menos vazada.

VEJA TABELA E SIMULE OS PRÓXIMOS JOGOS DO BRASILEIRÃO

Confira cinco destaques positivos do primeiro turno do Brasileirão.

FORTALEZA

Sob o comando do argentino Juan Pablo Vojvoda, visto como um dos melhores técnicos do campeonato até o momento, o Leão do Pici conseguiu fazer o melhor primeiro turno da história do futebol nordestino na Série A por pontos corridos. Com 33 pontos em 19 jogos, o time ocupa o terceiro lugar na tabela.

Vojvoda impõe um estilo de jogo intenso ofensivo, dependendo da produção de seus alas (Lucas Crispim e Yago Pikachu). Com essa filosofia, o Fortaleza conseguiu vitórias importantes e se consolidou na briga por uma vaga na próxima Libertadores.

RED BULL BRAGANTINO

O projeto da Red Bull com o Bragantino caminha para mais um ano de sucesso. O Massa Bruta, além de estar na semifinal da Copa Sul-Americana, ocupa o 4º lugar do campeonato, com 32 pontos em 18 jogos, e é o time com menos derrotas na competição nacional (2).

A equipe de Bragança deu confiança para Maurício Barbieri, técnico mais longevo da Série A, aprimorar seu estilo de jogo e, apesar da saída de Claudinho para o Zenit, o Bragantino confia na liderança defensiva de Léo Ortiz, e os gols e assistências de Artur para conseguir um lugar na próxima Libertadores.

FERNANDO MIGUEL

O goleiro do Atlético-GO é um dos principais responsáveis pela boa campanha do Dragão em 2021. A equipe goiana ocupa o 8º lugar, com 25 pontos em 18 jogos.

O Atlético-GO possui a quinta melhor defesa, com 17 gols sofridos, e o goleiro é um dos grandes responsáveis por deixar o Dragão longe do Z4. Uma das atuações mais importantes de Fernando Miguel aconteceu logo na primeira rodada. Contra o Corinthians, na Neo Química Arena, ele defendeu um pênalti e garantiu a vitória por 1 a 0.

CUIABÁ

Com a perspectiva de brigar para não cair, o Cuiabá se afastou da zona do rebaixamento e sonha com uma vaga na próxima Copa Sul-Americana. A equipe do Mato-Grosso conseguiu resultados expressivos e está no 11º lugar.

O Dourado apostou em empréstimos para montar o elenco para a Série A. Nomes como o goleiro Walter e o atacante Clayson vêm dando conta do recado. Tudo isso após a demissão na primeira rodada do técnico Alberto Valentim.

ATLÉTICO-MG

Após um início questionável, Cuca conseguiu dar um padrão tático ao Atlético-MG, que possui um dos elencos mais recheados do Brasileirão, e a equipe mineira vem correspondendo em campo.

O Galo não conquista o Brasileirão desde 1971. E para encerrar esse jejum, a equipe conta com o bom momento de Everson, convocado para a Seleção Brasileira, além da consistência de Nacho Fernández e os gols decisivos de Hulk, candidato a melhor jogador do campeonato.

Confira cinco destaques negativos do primeiro turno do Brasileirão.

GRÊMIO

O Imortal começou o Brasileirão com Renato Gaúcho no banco de reservas e apostando na contratação bombástica de Douglas Costa. O treinador agora está no Flamengo, e o atleta com passagens pela Seleção Brasileira ainda não teve uma participação em gol, além de lidar com lesões.

Com 16 pontos em 17 jogos, na penúltima colocação, a campanha do Grêmio é desastrosa e o risco de rebaixamento é real. A dupla Kanneman-Geromel não rende como nos anos anteriores, o meio perdeu Matheus Henrique e Diego Souza perdeu a titularidade para Borja. Se não melhorar no segundo turno, o Grêmio é forte candidato ao rebaixamento.

SÃO PAULO

O Tricolor paulista entrou no Brasileirão motivado com o título paulista e com esperanças de faturar o caneco nacional. A equipe patinou especialmente contra equipes de menor expressão e agora se vê fora da briga pela taça e ameaçada de não beliscar uma vaga para a Libertadores.

O departamento viveu lotado nesse primeiro turno, e Crespo encontrou dificuldades para escalar a equipe. O São Paulo soma 22 pontos em 18 jogos, e apenas uma posição separa o Tricolor do Z4. Se não conseguir embalar uma sequência, a luta contra o rebaixamento pode ser o destino de um elenco recheado de craques que estão abaixo, como Daniel Alves.

CHAPECOENSE

A Chapecoense ainda não venceu no Brasileirão. Na lanterna, a equipe catarinense teve o pior turno de um time na história do Campeonato Brasileiro de pontos corridos, com apenas sete pontos.

O retorno para a Série B parece ser uma questão de tempo para uma equipe que tem a segunda pior defesa e o terceiro pior ataque da competição.

SANTOS

O Peixe teve um começo frustrante de ano. O clube viu o técnico argentino Ariel Holán sair após o fiasco na Libertadores, e apostou suas fichas em Fernando Diniz. O ex-comandante do São Paulo não aproveitou a chance em outra grande equipe, deixando o Santos longe de uma vaga para a Libertadores e com números defensivos preocupantes.

A equipe sente a falta de jogadores importantes como Luan Peres e Kaio Jorge, que deixaram o Santos durante o Brasileirão. Marinho ainda não é o mesmo da temporada passada, e o Peixe sentiu a queda de rendimento de seu principal atleta, que se mostrou descontente e deseja sair.

BAHIA

Se não fossem os gols de Gilberto, empatado na artilharia do Brasileirão com Edenílson e Bruno Henrique, a situação do Tricolor de Aço poderia ser catastrófica. Com o fim do primeiro turno, a equipe de Salvador é a primeira fora do Z4, com 21 pontos.

O problema do Bahia é na parte defensiva. O Tricolor de Aço tem a pior defesa do campeonato, com 32 gols sofridos. Dessa forma, a diretoria optou por demitir Dado Cavalcanti, apostando em Diego Dabove para tirar o Bahia dessa situação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos