Balanço das estreias: Trio de Ferro acima das expectativas, Peixe sofre contra "pedreira"

Goal.com
Vitória elástica acaba com jejum do atacante são paulino; camisa 10 do Tricolor faz dois gols pela primeira vez desde 2006
Vitória elástica acaba com jejum do atacante são paulino; camisa 10 do Tricolor faz dois gols pela primeira vez desde 2006

A primeira rodada do Campeonato Paulista reservou um futebol bem jogado pelos times da capital e uma amostra da dificuldade que eles podem ter pela frente quando cruzarem a surpresa Red Bull Bragantino, quinto integrante da Série A do Campeonato Brasileiro na primeira divisão do Paulista e adversário do Santos na estreia.

Dono do placar menos elástico, mas com algumas amostras do desejado estilo de jogo de Fernando Diniz, o São Paulo é o único do quarteto que manteve o técnico no cargo para essa temporada. A animadora atuação, principalmente pelo segundo gol da equipe, com sete jogadores chegando ao campo de ataque contra quatro adversários, deu fôlego ao início de ano tricolor.

A bem da verdade, porém, o clube do Morumbi foi o único a enfrentar uma equipe que não está em nenhuma das divisões nacionais no triunfo por 2 a 0 sobre o Água Santa. Seu adversário neste final de semana, o Palmeiras teve pela frente o Ituano, que assegurou presença na Série C de 2020.

Depois de um primeiro tempo complicado, na casa do adversário, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo deslanchou após o gol de Marcos Rocha e jogou solto. Gabriel Veron, novidade para a segunda etapa, também mostrou que pode ser um diferencial neste começo de temporada, contribuindo para o 4 a 0 do Verdão.

Também com goleada, mas com a defesa sendo vazada, o Corinthians encarou de frente um dos quatro times de Série B presentes no Estadual. Superior em todo o duelo e com a missão facilitada após a expulsão de Reginaldo, o time do técnico Tiago Nunes mostrou a ideia de jogar para frente e ter um time mais ofensivo do que se viu com Fábio Carille em 2019.

Já em Santos, o cenário não foi dos mais animadores. Diante do adversário mais difícil possível para os grandes, o Red Bull Bragantino, o Peixe não conseguiu desempenhar um grande futebol na Vila Belmiro.

Kaio Jorge, aposta no primeiro tempo, precisou sair por problemas físicos no intervalo. Derlis González, que já não agrada tanto o torcedor e deve deixar o Peixe no meio do ano, foi acionado em meio a um desespero por resultado. Nada, porém, que lembrasse a vistosidade do futebol mostrado com Jorge Sampaoli no comando.

A equipe de Bragança, por sua vez, fez jus às palavras de Artur à Goal.com, mostrando bom futebol, principalmente na etapa final, e deixando para trás os maus resultados na pré-temporada. Presente no grupo do Corinthians, o time espera entrar forte na disputa pelo título já em 2020.

Os dois encontros entre Luxemburgo e Diniz: equilíbrio e entrega superando a técnica

Palmeiras e São Paulo se enfrentam na tarde deste domingo, na Arena da Fonte Luminosa, em Araraquara, dando sequência a estreias animadoras dos dois lados no Campeo Paulista. Enquanto o Verdão de Luxemburgo goleou o Ituano, o Tricolor de Diniz venceu tranquilamente o Água Santa, com os técnicos agora medindo forças pela terceira vez na carreira.

A primeira vez em que os dois se encontraram foi na metade do ano passado, quando um Luxa ainda em começo de trabalho encontrou Diniz em meio ao intenso período no Fluminense. O jogo, no entanto, foi mais de transpiração do que de inspiração, tudo que não se espera de equipes que prezam por um jogo bem jogado.

O Flu abriu o placar com Pedro, no final do primeiro tempo, mas sucumbiu diante da pressão de São Januário. Digão foi expulso, em lance bastante contestado pelos tricolores, e Castán deixou tudo igual para os vascaínos. Pouco depois, mais um vermelho: Frazan excluído, senha para Bruno César decidir a vitória por 2 a 1.

Quase seis meses depois, os dois treinadores voltaram a se encontrar na reta final do Brasileiro do ano passado, dessa vez com Fernando Diniz já no comando do São Paulo.

Em meio à implantação do seu estilo de jogo, com a confiança abalada por duas derrotas seguidas jogando no Morumbi, Diniz viu seu time apostar em um modelo de atuação mais seguro do que o visto frente Athletico e Fluminense nas duas rodadas anteriores.

Depois de abrir o placar com Antony, os são-paulinos passaram a controlar o jogo mais no embate físico do que na técnica. Com uma atuação bem abaixo da média, Luxa viu seu time sucumbir facilmente e não ameaçar o triunfo por 1 a 0 dos paulistas.

Agora em forças equivalentes e ambos levando a chance de titulo paulista a sério para coroar o começo do trabalho, os treinadores se reencontram no interior para ver quem toma a frente nessa disputa particular.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também