Bala Perdida: 5 motivos que explicam o novo sucesso da Netflix

Yahoo Vida e Estilo
Bala Perdida, novo sucesso da Netflix (reprodução)
Bala Perdida, novo sucesso da Netflix (reprodução)

O reinado do (péssimo) filme erótico 365 Dias chegou ao fim na Netflix. Nesta semana, a obra comparada a Cinquenta Tons de Cinza acabou cedendo o primeiro lugar no ranking dos mais vistos da plataforma para Bala Perdida, um longa de ação produzido na França.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

A mais nova sensação do streaming conta a história de Lino, um mecânico que monta carros de fuga. Acusado injustamente de assassinato, ele precisa encontrar a bala usada no crime, localizada em um veículo desaparecido, para comprovar a sua inocência.

Leia também

Sem o apelo sensual de 365 Dias, o filme francês tem surpreendido muita gente ao fazer tamanho sucesso em tempos de quarentena provocada pelo novo coronavírus. Abaixo, apontamos algumas justificativas para o êxito.

É quase Velozes e Furiosos

Velozes e Furiosos não chegou ao nono filme por acaso. Apostando em perseguições nonsenses e histórias mirabolantes, a saga estrelada por Vin Diesel já faturou US$ 5 bilhões no cinema. Bala Perdida é como se fosse um dos primeiros filmes da franquia, apostando somente no básico: carros em alta velocidade, ótimos dublês e personagens raivosos. Difícil dar errado.

Porrada boa

O trailer do filme não valoriza as muitas cenas de luta corporal do filme. Em vez de apostar na estética, o longa francês aposta em chutes e socos que parecem estabanados. O resultado em cena é bastante realista e, em muitos momentos, bem empolgante.

Cena de Bala Perdida, filme da Netflix (reprodução)
Cena de Bala Perdida, filme da Netflix (reprodução)

1h30 de ação (e só isso)

Para falar a verdade, a história pouco importa no filme. Assumindo-se como clichê, o longa aposta em 1h30 de cenas de ação, sem respiro ou espaço para diálogos. Desenvolvimento dos personagens? Isso fica para outro dia. A missão aqui é distribuir socos, fugir e não pensar em nada.

Aborda a corrupção policial

Ainda que o longa de Guillaume Pierret não toque em nenhum assunto com profundidade, a obra coloca o seu protagonista, Lino, diante de policiais corruptos. Mesmo sendo por demais estereotipados, os agentes fazem com que a gente se identifique mais com a jornada do protagonista.

Produção modesta, porém eficiente

Talvez o grande apelo do filme sejam os carros. Ainda que sejam tunados pelo protagonista, eles passam longe de parecem fora da realidade. A impressão que Lino faz com que veículos da nossa realidade sejam capazes de fugas deste nível torna toda a história mais próxima do espectador.

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também