Bahia ganha do Ceará em Fortaleza

Futebol Latino
LANCE!
Foto: JL Rosa/Diário do Nordeste

Bahia ganha do Ceará em Fortaleza e quebra invencibilidade do PV

Foto: JL Rosa/Diário do Nordeste

Dessa vez, a força do "hospício" do Ceará não foi páreo para a eficiência do Bahia. Jogando no Presidente Vargas, o time visitante marcou com Lucas Fonseca e Gilberto em jogo atrasado da 15ª Rodada do Brasileirão e se afasta do Z4 com 25 pontos mesmo continuando na 11ª posição. O mandante, por sua vez, segue a cinco pontos do Vitória, primeira equipe fora da zona de rebaixamento.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

RITMO ACELERADO, MAS SÓ NO INÍCIO

A primeira oportunidade tanto dos anfitriões como dos visitantes não demorou a sair. Antes mesmo dos 10 minutos, o lado direito dos dois ataques funcionou bem utilizando essencialmente a velocidade. Mas, na hora de cruzar, o sistema defensivo do Ceará e do Bahia conseguiram cortar de maneira providencial as investidas.

Depois desse período, ficou bastante claro em campo que a opção do Vozão era de retenção da posse, troca de bola na intermediária ofensiva e procura de espaços na defesa baiana enquanto o Tricolor da Boa Terra buscava as escapadas contando com a agilidade de Zé Rafael.

QUANDO CHEGOU, FEZ!

Vendo o seu adversário ser bem mais presente no plano ofensivo, o Bahia não tinha conseguido sequer testar o arqueiro Everson na partida. Nem precisou, já que, aos 28 minutos, o Esquadrão de Aço aproveitou a bola parada e fez o primeiro no Presidente Vargas.

Após cobrança de escanteio, Lucas Fonseca aproveitou o desvio e encheu o pé esquerdo para mandar no extremo canto direito do goleiro do Alvinegro Cearense. Festa do bom número de torcedores do Bahia presentes em Fortaleza.

"QUASE GOL" DE PLACA!

De longe, a melhor oportunidade em meio as dificuldades que os comandados de Lisca encontravam para furar a zaga adversária foi de Juninho Quixadá. Aos 41 minutos, o atacante limpou a marcação de três oponentes e bateu de pé esquerdo, levando muito perigo a meta defendida por Douglas. Uma das poucas finalizações que o Ceará conseguiu trazer real preocupação a defensiva do time de Salvador na primeira etapa.

MAIS DO MESMO

A parte final do primeiro tempo e a volta do intervalo seguiu com o panorama onde o time de Porangabuçu precisava propôr as jogadas de ataque enquanto, se retraindo, o Bahia conseguia se segurar bem, evitando em grande parte do tempo até mesmo que Douglas tivesse de trabalhar.

Quando dava, os visitantes até tentavam se arriscar nos contra-ataques, mas a prioridade era aguardar as bolas paradas para, aí sim, ter oportunidades mais agudas no seu campo de ataque.

SALVA, DOUGLAS!

O momento mais perigoso do ataque cearense veio de chute da intermediária onde Richardson acertou um petardo e obrigou Douglas a fazer uma maravilhosa intervenção. Por sorte, mesmo a bola espirrando na espalmada do arqueiro, Ricardo Bueno não encontrou bom ângulo para finalizar e optou por deixar ela sair para escanteio.

PÁ DE CAL

Após seguir respeitando as investidas do time oponente, o lance pontual que o ataque do Tricolor Baiano esperava para sair em velocidade apareceu. Em contra-ataque armado após passe de Élber, Gilberto recebeu passe no meio-campo, saiu em disparada e chutou forte, por baixo de Everson, para marcar o segundo do Bahia e fechar a conta.

FICHA TÉCNICA
CEARÁ 0 X 2 BAHIA

Data/Horário:
29/8/2018, às 19h30
Local: Presidente Vargas, Fortaleza (CE)
Árbitro: Dyorgines José Padovani de Andrade (CBF-ES)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires e Vanderson Antonio Zanotti (ambos CBF-ES)
Público/renda: -
Cartões amarelos: Romário, Pedro Ken (CEA); Gregore, Nilton, Léo, Gilberto (BAH)
Cartões vermelhos: -
Gols: Lucas Fonseca (28'/1°T) (0-1), Gilberto (41'/2°T) (0-2)

CEARÁ: Everson, Samuel Xavier, Luiz Otávio, Tiago Alves e João Lucas; Fabinho (Pedro Ken, no intervalo), Richardson e Ricardinho (Romário, aos 23'/2°T); Felipe Azevedo, Juninho Quixadá e Ricardo Bueno (Arnaldo, aos 35'/2°T). Técnico: Lisca.

BAHIA: Douglas, Bruno, Everson, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Nilton, Flávio, Zé Rafael (Edigar Junio, aos 31'/2°T) e Marco Antonio (Élber, aos 13'/2°T); Gilberto (Júnior Brumado, aos 43'/2°T). Técnico: Enderson Moreira.

Leia mais:
Bem nos EUA, Ilsinho curte ‘clima familiar’ de torcida
Löw nega racismo na seleção da Alemanha
'Espero sentir orgulho', diz Bolt sobre estreia no futebol

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também