Bahia ganha do Ceará em Fortaleza

Futebol Latino
LANCE!
Foto: JL Rosa/Diário do Nordeste

Bahia ganha do Ceará em Fortaleza e quebra invencibilidade do PV

Foto: JL Rosa/Diário do Nordeste

Dessa vez, a força do "hospício" do Ceará não foi páreo para a eficiência do Bahia. Jogando no Presidente Vargas, o time visitante marcou com Lucas Fonseca e Gilberto em jogo atrasado da 15ª Rodada do Brasileirão e se afasta do Z4 com 25 pontos mesmo continuando na 11ª posição. O mandante, por sua vez, segue a cinco pontos do Vitória, primeira equipe fora da zona de rebaixamento.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

RITMO ACELERADO, MAS SÓ NO INÍCIO

A primeira oportunidade tanto dos anfitriões como dos visitantes não demorou a sair. Antes mesmo dos 10 minutos, o lado direito dos dois ataques funcionou bem utilizando essencialmente a velocidade. Mas, na hora de cruzar, o sistema defensivo do Ceará e do Bahia conseguiram cortar de maneira providencial as investidas.

Depois desse período, ficou bastante claro em campo que a opção do Vozão era de retenção da posse, troca de bola na intermediária ofensiva e procura de espaços na defesa baiana enquanto o Tricolor da Boa Terra buscava as escapadas contando com a agilidade de Zé Rafael.

QUANDO CHEGOU, FEZ!

Vendo o seu adversário ser bem mais presente no plano ofensivo, o Bahia não tinha conseguido sequer testar o arqueiro Everson na partida. Nem precisou, já que, aos 28 minutos, o Esquadrão de Aço aproveitou a bola parada e fez o primeiro no Presidente Vargas.

Após cobrança de escanteio, Lucas Fonseca aproveitou o desvio e encheu o pé esquerdo para mandar no extremo canto direito do goleiro do Alvinegro Cearense. Festa do bom número de torcedores do Bahia presentes em Fortaleza.

"QUASE GOL" DE PLACA!

De longe, a melhor oportunidade em meio as dificuldades que os comandados de Lisca encontravam para furar a zaga adversária foi de Juninho Quixadá. Aos 41 minutos, o atacante limpou a marcação de três oponentes e bateu de pé esquerdo, levando muito perigo a meta defendida por Douglas. Uma das poucas finalizações que o Ceará conseguiu trazer real preocupação a defensiva do time de Salvador na primeira etapa.

MAIS DO MESMO

A parte final do primeiro tempo e a volta do intervalo seguiu com o panorama onde o time de Porangabuçu precisava propôr as jogadas de ataque enquanto, se retraindo, o Bahia conseguia se segurar bem, evitando em grande parte do tempo até mesmo que Douglas tivesse de trabalhar.

Quando dava, os visitantes até tentavam se arriscar nos contra-ataques, mas a prioridade era aguardar as bolas paradas para, aí sim, ter oportunidades mais agudas no seu campo de ataque.

SALVA, DOUGLAS!

O momento mais perigoso do ataque cearense veio de chute da intermediária onde Richardson acertou um petardo e obrigou Douglas a fazer uma maravilhosa intervenção. Por sorte, mesmo a bola espirrando na espalmada do arqueiro, Ricardo Bueno não encontrou bom ângulo para finalizar e optou por deixar ela sair para escanteio.

PÁ DE CAL

Após seguir respeitando as investidas do time oponente, o lance pontual que o ataque do Tricolor Baiano esperava para sair em velocidade apareceu. Em contra-ataque armado após passe de Élber, Gilberto recebeu passe no meio-campo, saiu em disparada e chutou forte, por baixo de Everson, para marcar o segundo do Bahia e fechar a conta.

FICHA TÉCNICA
CEARÁ 0 X 2 BAHIA

Data/Horário:
29/8/2018, às 19h30
Local: Presidente Vargas, Fortaleza (CE)
Árbitro: Dyorgines José Padovani de Andrade (CBF-ES)
Assistentes: Fabiano da Silva Ramires e Vanderson Antonio Zanotti (ambos CBF-ES)
Público/renda: -
Cartões amarelos: Romário, Pedro Ken (CEA); Gregore, Nilton, Léo, Gilberto (BAH)
Cartões vermelhos: -
Gols: Lucas Fonseca (28'/1°T) (0-1), Gilberto (41'/2°T) (0-2)

CEARÁ: Everson, Samuel Xavier, Luiz Otávio, Tiago Alves e João Lucas; Fabinho (Pedro Ken, no intervalo), Richardson e Ricardinho (Romário, aos 23'/2°T); Felipe Azevedo, Juninho Quixadá e Ricardo Bueno (Arnaldo, aos 35'/2°T). Técnico: Lisca.

BAHIA: Douglas, Bruno, Everson, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Nilton, Flávio, Zé Rafael (Edigar Junio, aos 31'/2°T) e Marco Antonio (Élber, aos 13'/2°T); Gilberto (Júnior Brumado, aos 43'/2°T). Técnico: Enderson Moreira.

Leia mais:
Bem nos EUA, Ilsinho curte ‘clima familiar’ de torcida
Löw nega racismo na seleção da Alemanha
'Espero sentir orgulho', diz Bolt sobre estreia no futebol

Leia também