Bélgica: derrota em amistoso expõe fragilidades e liga alerta para a estreia na Copa do Mundo

Bélgica enfrentou o Egito em amistoso no Kuwait (Foto: YASSER AL-ZAYYAT / AFP)


No último teste antes da estreia na Copa do Mundo do Qatar, a Bélgica foi surpreendida e foi derrotada pelo Egito por 2 a 1, em amistoso realizado nesta sexta-feira, na Cidade do Kuwait. O revés, apesar de ser em um jogo amigável, mostrou algumas falhas defensivas e acendeu o sinal de alerta na seleção belga.

Os comandados de Roberto Martínez tiveram um início de amistoso bem empolgante no Kuwait, principalmente com Batshuayi, substituto de um lesionado Lukaku. Logo nos 10 primeiros minutos, o atacante do Fenerbahçe esteve envolvido em lance polêmico de pênalti não marcado e logo depois carimbou o travessão do Egito. No todo, foram os únicos lances de real perigo da Bélgica em toda etapa inicial.

+ VEJA A TABELA DA BÉLGICA NA COPA DO MUNDO E SIMULE RESULTADOS

Apesar de ter um domínio de posse de bola e controlar as ações ofensivas do jogo, a Bélgica sofreu bastante com a velocidade dos contra-ataques da equipe do Egito. O gol do time africano saiu em um erro individual de Kevin De Bruyne, é bem verdade. No entanto, antes de abrir o placar, a equipe egípcia foi perigosa em três oportunidades na velocidade de seus atacantes, principalmente nas costas dos zagueiros belgas.

Já na etapa final do amistoso, o Egito precisou de apenas 50 segundos para novamente aproveitar os espaços deixados pela linha alta de zaga da Bélgica e, em velocidade, saiu na cara de Courtois para ampliar a vantagem. Com o jogo ainda mais propício para o contra-ataque, a seleção africana levou perigo diversas vezes quando saiu em velocidade. Uma fragilidade defensiva que foi colocado em evidência para os adversários da seleção belga na Copa do Mundo.

+ Imprensa da Bélgica detona Hazard e critica seleção após derrota em amistoso

O Canadá, adversário da estreia da Bélgica no Qatar, é um time que tem a velocidade como principal vertente com jogadores como Alphonso Davies, Jonathan David e Tajon Buchanan. Com os espaços deixados pela defesa belga, os canadenses devem ter tomado nota e prestado atenção no que podem fazer para também surpreender e arrancar pontos no dia 23.

Roberto Martínez, técnico da seleção belga, afirmou que não esperava um desempenho ruim de seu time no amistoso, mas que ficou aliviado por não ter sido um revés na competição no Qatar.

- Foi um amistoso, não foi uma partida de Copa do Mundo. Tivemos que usar isso como uma partida preparatória. Uma derrota é obviamente uma decepção pelo desempenho geral. O Egito mereceu vencer. Não estou feliz com o nosso desempenho. Estamos nos preparando há muito tempo, era um momento importante para fazer uma boa partida. Esta derrota provavelmente vem na hora certa. Temos que preparar todos os jogadores para o que está por vir. Você tem que dar o seu melhor neste nível. Caso contrário, você pode não vencer - lamentou.

MONTAGEM DA DEFESA
Para esta Copa do Mundo, Martínez tem praticamente a mesma zaga que em 2018: Toby Alderweireld e Jan Vertonghen, mas com a ausência de Kompany, que se aposentou dos gramados. A Bélgica tem as presenças de Zeno Debast e Arthur Theate, dois jovens defensores que brigam pela terceira vaga na linha defensiva, mas que não tiveram bom desempenho no amistoso desta sexta.

Nas laterais, Yannick Carrasco pela esquerda e Castagne pela direita, não passam tanta solidez defensiva quanto a forte defesa de 2018. O ponta-esquerda do Atlético de Madrid, inclusive, joga fora de posição e rende bem mais no momento ofensivo do que na defesa, onde deixa espaços que podem ser aproveitados pelos times rivais. Mas não é de hoje que a lateral-esquerda da Bélgica é um problema. Na Copa da Rússia, Vertonghen era utilizado improvisado na posição.

MUDANÇAS EFETIVAS
Durante o amistoso, duas das mudanças feitas por Martínez foram justamente as entradas de Vertonghen e Meunier, na zaga pela esquerda e na lateral-direita respectivamente. Com as substituições, Castagne saiu da direita e foi para a lateral-esquerda, e Carrasco foi colocado de forma mais avançada. Mudança essa que resultou na jogada do gol de Openda, o único da Bélgica no amistoso, com assistência do jogador do Atlético de Madrid pelo lado esquerdo de ataque.

A Bélgica é considerada uma das grandes favoritas ao título no Qatar e seus valores técnicos traduzem bem tanta expectativa, mas os erros defensivos, principalmente em um torneio de tiro curto como uma Copa do Mundo, podem custar caro na fase de grupos, como podem ser cruciais para uma eliminação no mata-mata. Resta saber se as falhas serão corrigidas por Roberto Martínes até a estreia no mundial, no próximo dia 23, contra o Canadá.