ITF planeja limitar número de tenistas profissionais no circuito

Redação Central, 30 mar (EFE).- A Federação Internacional de Tênis (ITF) iniciou uma reestruturação para os próximos anos que contempla uma redução do número de jogadores profissionais e a criação de um Circuito de Transição para adequar a trajetória dos jogadores desde a categoria júnior.

Esta reorganização do tênis profissional planeja diminuir de 14 mil para 1,5 mil o número de tenistas. Para isso, a partir de 2019 será disputado um Circuito de Transição que dará oportunidades para que as novas gerações possam se tornar profissionais.

A ITF tomou esta decisão após um estudo dos três últimos anos nas categorias sênior e júnior que determinou o excesso de jogadores aspirantes a alcançar o circuito profissional, sendo poucos os que conseguem. Além disso, os que acabam conseguindo se tornam profissionais em uma idade que aumenta a cada ano.

O objetivo da ITF é deixar o novo circuito profissional com 1.500 jogadores, sendo 750 homens e 750 mulheres.

"A nova estrutura proporcionará um caminho profissional mais claro e eficaz e garantirá que os níveis de premiação dos eventos da ITF estejam melhor orientados a assegurar que mais tenistas possam ganhar a vida com o tênis", diz a entidade.

Os dirigentes da Federação Internacional indicam que cerca de 14 mil jogadores disputam torneios profissionais atualmente e quase a metade não obtém nenhum prêmio em dinheiro.

Por esse motivo, a ITF aprovou a inclusão a partir de 2019 de um novo circuito de transição que incluirá uma nova categoria de torneio que melhorará a passagem do tênis júnior ao profissional para garantir mais oportunidades para tenistas de qualquer país.

O objetivo é que essas competições tenham um custo menor e aumente as oportunidades dos atletas de chegarem ao circuito profissional.

"Esta é a reestruturação mais completa do tênis profissional já realizada. São necessárias mudanças estruturais para abordar os problemas de transição entre a categoria júnior e profissional", disse o presidente da ITF, David Haggerty.

"Já demos um grande passo ao aumentar os níveis de premiação nos torneios ITF Pro Circuit. O próximo passo é assegurar que a estrutura do tênis profissional seja apta para o propósito através de um enfoque de oportunidades de trabalho que criará um grupo menor de jogadores profissionais. Ao mesmo tempo, é imprescindível não reduzir a chance dos jogadores de qualquer nação comeceçarem a trajetória rumo aos 100 primeiros", explicou Haggerty. EFE