Avintia diz que demitiu Abraham para ter “situação segura”: “Fomos educados”

Redação GP

Diretor-esportivo da Avintia na MotoGP, Ruben Xaus afirmou que Karel Abraham teve seu contrato rompido para garantir uma “situação segura” para a equipe. O dirigente declarou, ainda, que a escuderia foi “educada” com o tcheco.

No fim de semana, Karel revelou que foi comunicado do rompimento de seu contrato por e-mail, em espanhol, enviado por um advogado do time. O piloto, que então entende a língua nativa da Avintia, também alegou que teve suas mensagens ignoradas pela cúpula da escuderia.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“No fim da noite de sexta-feira, eu abri meu e-mail e tinha recebido um e-mail de um advogado”, contou Abraham à jornalista israelense Tammy Gorali. “Eu abri e estava totalmente em espanhol, não em inglês ou tcheco”, seguiu.

Karel Abraham (Foto: Michelin)


Paddockast #43

QUAL FOI O MELHOR GP DO BRASIL QUE VOCÊ ASSISTIU?


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM






“Quando colocamos no tradutor, ficou bem claro que era a quebra do nosso contrato. Então eu enviei uma mensagem para Ruben mais uma vez, dizendo: ‘Ei, o que é isso?’. Mas não tive resposta”, relatou. “Nós enviamos várias mensagens. Mas não recebemos nenhuma resposta dele. Mas, no dia seguinte, no sábado, eu mandei outra mensagem, dizendo: ‘Ruben, vocês me mandaram um e-mail em espanhol, não tenho ideia do que é e amanhã eu vou para Jerez, devo ir ou não?’. Foi só aí que recebi uma mensagem, dizendo: ‘Correto, é o encerramento do contrato. Não venha a Jerez. E pare de se comunicar comigo’”, completou Abraham.

A Avintia, porém, entende que tratou o piloto de maneira educada. 

“No fim, não há muito a dizer”, disse Xaus ao site da MotoGP. “Nós fomos educados com o piloto”, seguiu.

“Contratos são contratos. Nós respeitamos tudo e, do outro lado, nem tudo estava claro”, avaliou. “No fim, não sou o dono do time, Raúl Romero é o dono do time”, continuou.

Abraham admitiu que pagou integralmente os valores referentes à temporada 2019, mas os repasses para 2020 estavam atrasados “por dias”. De acordo com o piloto, o adiamento foi feito de comum acordo, já que tinha dúvidas em relação ao projeto do time, também por ter perdido integrantes de sua equipe na reta final da temporada. 

“Nós demos tudo que podíamos a Karel até o último dia do campeonato. E estava muito claro que o time precisava de uma situação segura para continuar. E não estava assim”, justificou Ruben. “Então eu segui a decisão do dono da equipe. Eu entendo que Karel esteja chateado agora, mas nós tivemos reuniões até que isso acontecesse”, ressaltou.

Com um acordo recém-renovado com a Ducati, Xaus afirmou que a Avintia está em “melhores condições”, mas não quis dizer quem será o companheiro de Tito Rabat em 2020.

“Depende de outras opções”, afirmou Xaus. “Temos algumas opções na mesa e, claramente, [um piloto contratado da Ducati] é uma das opções”, admitiu.

“Para nós, se isso acontecer, claramente dará um valor diferente ao time, porque a motivação é completamente diferente”, ponderou. “No momento, eu não controlo a situação. Estamos tentando tornar a equipe melhor”, concluiu.

Com a contratação de Augusto Fernández pela Marc VDS na Moto2, a expectativa é de que Johann Zarco assume a vaga na Avintia.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.






Leia também