Avaí vence Sampaio fora de casa e segue com sonho do acesso; Bolívia Querida deixa o G-4

Futebol Latino
·3 minuto de leitura


Pela 29ª rodada da Série B, Sampaio Corrêa e Avaí fizeram um confronto de equipes que sonham alto na competição. Diretamente do Estádio Castelão, os mandantes perderam por 1 a 0 e deixaram o G-4, enquanto o Leão catarinense mantém o objetivo de chegar entre os quatro melhores.

Com os três pontos garantidos, o Avaí não sobe na tabela. Porém chega aos 43 pontos e fica a três do Juventude, primeiro time do G-4 e que vai jogar às 21h30 contra o Vitória. O Sampaio Corrêa, por sua vez, perdeu não só a partida, mas também a chance de alcançar os 48 pontos e assumir a terceira colocação na Série B.

NA 30ª rodada, o Sampaio Corrêa vai até Recife enfrentar o desesperado Náutico, duelo que vai acontecer no sábado (19), às 16h30 (de Brasília). O Avaí vai ter um confronto complicado diante do Cruzeiro na Ressacada. A partida vai ser realizada na sexta-feira (18), às 20h15 (de Brasília).

PRIMEIRO TEMPO COM GOL DO AVAÍ

Os corações dos torcedores de Sampaio Corrêa e Avaí pulsaram nos primeiros 15 minutos de partida. Isso porque as equipes usaram do fôlego ainda novo para rapidamente tentarem abrir o placar e chances claras eles tiveram. Aos sete, Alan Costa aproveitou um escanteio e viu a bola passar perto do gol. Minutos mais tarde, o artilheiro Caio Dantas recebeu a bola e soltou a bomba para Glédson fazer uma linda defesa.

A insistência do lado do Avaí culminou em gol aos 17 minutos. Rômulo fez um lindo cruzamento e a bola foi ao encontro de Gastón Rodriguez, que chutou para o fundo do gol. Após o passe, o camisa 77 sentiu um incômodo e deu lugar a Vinícius Leite. Após o tento, Pimentinha foi o jogador que mais deu trabalho para a zaga avaiana. Baixinho e rápido, o atacante tirava vantagem da suas características para tentar o drible e criar chances perigosas pela direita.

O Avaí diminuiu sua intensidade depois do gol e contou a segurança da defesa para barrar os ataques rápidos que o Sampaio criava. O problema maior da Bolívia Querida era a falta de criatividade quando chegada perto da área, onde Glédson pouco trabalhou. E quando teve uma chance clara, aos 40 minutos, Marcinho isolou ao receber dentro da área. O time catarinense só voltou a assustar aos 45 minutos em uma bola na trave de Getúlio. Uma falta de Marcinho no minuto seguinte foi o último lance de perigo da etapa inicial.

SEGUNDO TEMPO DE PRESSÃO TOTAL DO SAMPAIO CORRÊA

Na volta do intervalo, o Sampaio Corrêa seguiu com seu ritmo intenso em busca do empate. Em 15 minutos, o time maranhense teve pelo menos seis jogadas perigosas sendo que Pimentinha e Caio Dantas foram quem mais se aproximaram de igualar o marcador no Castelão. O Leão da Ilha só foi assustar aos 19 minutos em chute de Pedro Castro, mas Gustavo fez boa defesa.

A tática do Avaí no segundo tempo foi segurar bem o resultado e quando tivesse oportunidade no ataque tentar 'matar' o duelo. Enquanto isso, o Sampaio insistia nas suas jogadas rápidas que vinha em bola aérea ou no chão. Aos 30 minutos de partida, era clara a pressão aplicada pela Bolívia Querida, que trabalhava bem a bola fora da área, mas não conseguia concluir em gol suas jogadas.

O Avaí se mostrou seguro com sua tática do segundo tempo e deixava o Sampaio chegar, já que conseguia evitar bem os gols com sua defesa ou com faltas longe da área. Já nos acréscimos, por pouco Maílson não empatou ao pegar a sobra de escanteio e chutar ao gol. A bola desviou e foi para novo corner.