Auxílio emergencial é a única fonte de renda para 36% das famílias beneficiadas

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

O auxílio emergencial é a única fonte de renda para 36% das famílias que receberam ao ao menos uma parcela do benefício, segundo pesquisa do Datafolha. As informações são da Folha de S.Paulo.

A dependência dessa transferência caiu nos últimos meses, quando o valor pago pelo governo caiu de R$ 600 para R$ 300. Na pesquisa feita em agosto, 44% disseram que o auxílio era a única fonte de renda.

Com a diminuição do auxílio e a retomada parcial das atividades econômicas, muitas pessoas saíram em busca de outras formas de renda.

Segundo a pesquisa, 39% dos entrevistados pediram o auxílio emergencial e 81% desses pedidos foram atendidos. Dados do governo mostram que o voucher atingiu quase 70 milhões de brasileiros.

Com o valor das parcelas caindo pela metade, o consumo também foi cortado pelas pessoas que recebiam o auxílio. De acordo com pesquisa, 75% dos beneficiários reduziram a compra de alimentos, 65% cortaram despesas com remédios, 57% diminuíram o consumo de água, luz e gás e 55% deixaram de pagar as contas da casa.

O governo federal vai gastar neste ano R$ 580 bilhões com políticas para combater os efeitos econômicos da pandemia, sendo que 55% do montante (R$ 322 bilhões) irão para o auxílio emergencial.

O auxílio emergencial está previsto para acabar a partir de janeiro. O presidente Jair Bolsonaro afirma que não haverá prorrogação do benefício, nem a criação de um novo programa.