Autoridade Brasileira volta a possuir autorização para controle de doping

A Agência Mundial Antidoping reconsiderou a suspensão após a criação do Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem

A Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) voltou a possuir a autorização da Agência Mundial Antidoping (Wada, em inglês) para o controle do antidoping nacional. A concessão é fruto do Brasil ter atendido à principal exigência da entidade internacional, criar um Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJAD). O anuncio foi realizado nesta quarta-feira.

A ABCD e seu respectivo regimento foram registrados do Diário Oficial da União no dia 23 de março (quinta-feira). Foram empossados nove editores, que não receberão salários (apenas ajuda de custo), além da aprovação de um orçamento de R$ 500 mil para o funcionamento da entidade e realização de audiências para julgar casos de doping no Brasil. No final deste mês, a organização passou por uma auditoria da Wada, onde foram realizadas recomendações para que a entidade nacional voltasse a ser classificada como regular.

- Cumprimos o nosso compromisso. O tempo que demorou foi o tempo para a Wada analisar o processo de criação do tribunal, incluindo o Regimento Interno - afirmou Rogério Sampaio, secretário nacional da ABCD.

Por meio de uma nota oficial, a ABCD explicou que não chegou a ser descredenciada, mas sim em "não conformidade". Durante este período, para realizar qualquer exame antidoping no Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD), era necessário que um entidade de outro país se responsabilizasse pela coleta de material e da logística para a chegada das amostras no laboratório, localizado na Universidade Federal do Rio de Janeiro.

O Brasil foi declarado como irregular em novembro do ano passado. A Wada alegou, na época, que a ABCD estava fora dos patrões do Código Mundial Antdoping, A demora na criação do TJAD também contribuiu para este processo.







E MAIS: