"Vestir uma camisa de Neymar é apoiar a corrupção", diz fundador do DIS

EFE

São Paulo, 29 mar (EFE).- O empresário Delcir Sonda, fundador do grupo de investimentos DIS, que abriu uma denúncia na Espanha contra Neymar por suposta fraude na contratação pelo Barcelona, acusou o jogador e os pais dele de traição e criticou inclusive os fãs do camisa 10 da seleção brasileira.

"É lamentável que a carreira de um jovem seja manchada por fatos criminais tão graves. Os esportistas são os exemplos das crianças. Vestir uma camisa de Neymar é apoiar a corrupção", afirmou um emocionado Delcir, que se pronunciou publicamente sobre o caso pela primeira vez.

"Fui traído por Neymar, por seu pai e por sua mãe. Houve uma fraude orquestrada por Neymar, seus pais e o Barcelona por meio de contratos simulados", completou.

O empresário é sócio do DIS, que em 2009 comprou 40% dos direitos federativos do atacante por R$ 5,5 milhões quando este tinha apenas 17 anos e ainda não era profissional.

Em ação em trâmite na Justiça espanhola, o empresário acusa o atleta e a família, além do Barcelona, de crimes de corrupção entre particulares e fraude por contratos simulados ao esconder o valor real de sua contratação pelo clube espanhol. Ele também denunciou que o fundo de investimentos, parte interessada na negociação.

"Neymar mente e mente até hoje. Ele não pode ser exemplo para nossos filhos. Estamos no meio de uma corrupção imensa, e temos que dar exemplo a nossos filhos. Não podemos tolerar a corrupção", criticou.

A Audiência Nacional espanhola confirmou em fevereiro os processos contra Neymar e Barcelona como pessoa jurídica neste caso. Além deles, o organismo judicial ratificou ações contra a mãe do jogador, Nadine Gonçalves, a empresa N&N Consultoria e o Santos, processados todos eles juntos com o presidente do Barça, Josep Maria Bartomeu, e seu antecessor, Sandro Rosell.

"O que o Barcelona quer é contratar jogador, é contratar sem pagar a cláusula penal prevista em contrato, sem concorrer com o restantes dos clubes que estão interessados na contratação do jogador e sem se importar que para isso tenha de descumprir a legislação da Fifa", denunciou, por sua vez, o advogada espanhol da DIS, Eliseo M. Martínez.

"Decidem enganar ao mercado, decidem pagar abaixo da mesa umas quantidades com a finalidade de trair os contratos assinados, de defraudar ao mercado", acrescentou.

A transação entre Barcelona e Santos foi de cerca de 57 milhões de euros, como anunciou o cluge espanhol, mas a investigação judicial elevou esse número para mais de 80 milhões de euros.

"A DIS disponibilizou viagens para a família a Londres, a Tel Aviv...", lembrou Delcir, que revelou que era comum ele dar churrascos e jantares após as partidas do craque. "Como ele fala que não me conhecia? Fui traído por trás, isso não se faz. Confiamos que Neymar cumpriria sua palavra", acrescentou. EFE


Leia também