Austrália cogita boicote diplomático à Olimpíada de Inverno de Pequim

·1 min de leitura
Logo da Olimpíada de Inverno Pequim 2022 em Pequim

SYDNEY (Reuters) - A Austrália está cogitando não enviar nenhuma autoridade de governo à Olimpíada de Inverno a ser realizada em Pequim no ano que vem após apelos de parlamentares por um boicote diplomático oficial, disse o Sydney Morning Herald em uma reportagem nesta quinta-feira.

Políticos da coalizão governista Liberal-Nacional e do opositor Partido Trabalhista estão pedindo que o governo federal boicote o evento, que será realizado em fevereiro, noticiou o jornal, sem citar uma fonte.

"Uma decisão sobre a representação (da Austrália) na Olimpíada de Inverno de Pequim ainda não foi tomada", disse um porta-voz do ministro dos Esportes, Richard Colbeck, em uma resposta por email. O Departamento das Relações Exteriores australiano não respondeu a um pedido de comentário.

A China se opõe com firmeza à politização da Olimpíada, disse o porta-voz da chancelaria chinesa, Zhao Lijian, em um briefing nesta quinta-feira, acrescentando que tentativas de boicote não terão sucesso.

Tendo como pano de fundo as preocupações dos Estados Unidos com o histórico de direitos humanos da China, na semana passada o presidente norte-americano, Joe Biden, disse que seu país estuda um boicote diplomático aos Jogos.

Um boicote diplomático envolveria não enviar uma delegação de autoridades, mas permitindo que os atletas participem.

O Reino Unido ainda não decidiu quem representará seu governo na Olimpíada, mas o primeiro-ministro Boris Johnson não apoia a ideia de boicotes, disse seu porta-voz mais cedo nesta semana.

(Por Renju Jose; reportagem adicional de Yew Lun Tian)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos