Ausência de máscaras em atletas do Quirguistão chama atenção na cerimônia de abertura

·1 minuto de leitura
Quirguistão desfilou na cerimônia de abertura (Patrick Smith/Getty Images)
Quirguistão desfilou na cerimônia de abertura (Patrick Smith/Getty Images)

A cerimônia de abertura da Olimpíada de Tóquio foi bastante diferente das realizadas em edições passadas dos Jogos. Ela transcorreu sem a presença de público e com cuidado redobrado com a Covid-19, pelo menos em boa parte das delegações.

Os atletas do Quirguistão, porém, deram indícios de que não estão muito preocupados com a pandemia. Quase todos os representantes do país na cerimônia desfilaram pelo Estádio Olímpico sem máscara.

Leia também:

Cerca de 15 pessoas representaram a nação no evento desta sexta-feira. Delas, apenas uma utilizava o equipamento de proteção contra a Covid-19. A atiradora Kanykei Kubanychbekova e o nadador Denis Petrashov, casal de porta-bandeira, por exemplo, não usavam a máscara.

O episódio chamou atenção nas redes sociais e gerou revolta em algumas pessoas. “O Quirguistão desistiu das máscaras”, acusou um usuário do Twitter. “Ninguém do Quirguistão com máscara. Deveriam ser desclassificados”, escreveu outra.

Com 6,45 milhões de habitantes, o Quirguistão registrou, até o momento, 152,7 mil casos e pouco mais de 2,2 mil mortes por Covid-19. Há especulações, no entanto, de uma considerável subnotificação no país.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos