Ausência de "sombra" pode fazer Muralha relaxar no Flamengo

Recentemente Alex Muralha viu seu nome na boca do torcedor Rubro-Negro com certa desconfiança, principalmente baixo aproveitamento em cobranças de pênaltis. Desde que chegou ao Rubro-Negro, o goleiro pegou apenas uma penalidade, contra o Bangu, no Campeonato Carioca do ano passado.

Muralha chegou ao time da Gávea credenciado pela boa campanha com a camisa do Figueirense no Brasileirão 2015, ele foi um dos destaques na campanha da equipe que lutou contra o rebaixamento. Em pouco tempo, desbancou Paulo Victor e assumiu a titularidade no gol Rubro-Negro.

O goleiro também foi convocado pelo técnico Tite para defender a Seleção Brasileira ao lado de Alisson e Weverton, tudo isso fez com que o Flamengo renovasse o contrato do jogador até 2020. 

Alex Muralha Brasil 07 10 16


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

Mas 2017 chegou e, agora, Muralha se vê na necessidade de dar um passo maior com a camisa do Flamengo. Fora da primeira lista de Tite para os jogos contra Uruguai e Paraguai ele também não teve sucesso na disputa de pênaltis contra o Fluminense pela Taça Guanabara e viu Júlio Cesar, goleiro reserva adversário, brilhar. 

Essa foi a primeira derrota do Flamengo nos pênaltis em competições oficiais desde 2004, quando caiu para o Santos na Copa Sul-Americana. Desde então, os goleiros Rubro-Negros encarnaram uma tradição de sempre sair por cima nas penalidades. Foi assim com Bruno, Felipe e Paulo Victor até chegar a vez de Muralha, que quebrou a sequência histórica do clube.

Paulo Victor Flamengo 13092015


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo / Divulgação)

Recentemente o Globoesporte.com publicou um ranking onde Muralha aparece como pior goleiro em penalidades entre os arqueiros da série A do Campeonato Brasileiro. Desde 2015, o Rubro-Negro se viu diante de 17 cobranças e pegou apenas uma tendo um aproveitamento de 5,9%. 

Com bola rolando, desde que chegou ao Flamengo, Muralha sofreu 44 gols em 51 jogos. Em 2016, foram 37 jogos e 36 tentos sofridos, numa média de quase um por partida. Nesta temporada são 14 jogos e oito gols contra. Vale ressaltar que o Flamengo é o dono da melhor defesa do Carioca nesta temporada.

A saída de Paulo Victor e a falta de um goleiro para fazer sombra ao camisa 38 pode fazer com que Muralha relaxe um pouco na titularidade. Mas apesar do fraco desempenho nos pênaltis, o Flamengo não precisa ter maiores preocupações. Na última temporada, Muralha esteve entre os três goleiros mais decisivos do Brasileirão atrás apenas de Jailson, campeão com o Palmeiras, e Vanderlei, vice-campeão com o Santos.