Ausência em treino, festa e ‘pouco-caso’: Léo Pereira não tem mais clima no Flamengo

Antonio Mota
·2 minuto de leitura

Quarta opção de Rogério Ceni para o sistema defensivo do Flamengo, Léo Pereira não compareceu à sessão de treinamento marcada para a tarde da última quinta-feira (29), no Ninho do Urubu. Segundo informações do ge, o zagueiro não deu maiores explicações pela ausência e apenas informou aos médicos do clube que “estava passando mal”. A falta de detalhes sobre a situação gerou um desconforto na equipe.

Para deixar o clima ainda mais denso no CT, no final do dia, vazou um vídeo do ex-Athletico-PR em uma festa na noite da quarta-feira (28). Veja:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A ausência no treino e o vídeo deixaram Léo Pereira em uma situação delicada. Marcos Braz, vice-presidente do Flamengo, e Bruno Spindel, diretor executivo do clube, que são os responsáveis pelo departamento de futebol, se surpreenderam e reprovaram a atitude do defensor de 25 anos. O VP quer ouvir o zagueiro antes de tomar uma decisão, mas a tendência é que ele seja punido.

Sem espaço no Mais Querido, Léo Pereira tem todo o direito do mundo de ficar insatisfeito, mas insatisfação não é o mesmo que falta de profissionalismo. O defensor precisa respeitar a si próprio, o clube, os seus colegas de vestiário, os torcedores e a todos que estão envolvidos no cotidiano da equipe.

Ir a uma festa em meio à pandemia, faltar a uma sessão de treinos por ‘não estar bem’ e tratar o seu pagador de qualquer maneira não combinam com um profissional de alto nível. Além das “bolas fora” em campo, Léo Pereira também não foi bem fora das quatro linhas. É hora do adeus.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.