Audi vai deixar a Fórmula E após o término da próxima temporada

Sven Haidinger
·2 minuto de leitura

Uma das principais montadoras da Fórmula E, a Audi deve deixar a categoria de monopostos elétricos no fim da próxima temporada a fim de retornar às corridas de carros esportivos e protótipos com um projeto para a classe LMDh.

A escolha aumenta a perspectiva de a Audi retornar às 24 Horas de Le Mans, onde obteve 13 vitórias entre 2000 e 2014 antes de abandonar seu projeto na classe LMP1 após a corrida de 2016, na sequência do escândalo 'dieselgate' da Volkswagen.

No entanto, as novas regras da classe LMDh, que farão sua estreia em 2022 no Campeonato Mundial de Endurance (WEC) e em 2023 na IMSA, campeonato de endurance dos Estados Unidos, atraíram a marca alemã de volta às corridas de carros esportivos.

Um anúncio oficial da Audi é esperado ainda nesta segunda-feira, embora não esteja claro em que ano a marca lançará seu projeto LMDh e onde exatamente irá correr. Se voltar ao WEC, enfrentará seus ex-rivais da LMP1, Toyota e Peugeot. Marca 'irmã' da Audi, a Porsche também está avaliando formalmente um retorno ao WEC com um carro LMDh próprio, tendo abandonado a categoria um ano depois da Audi, em 2017.

O retorno da Audi às corridas de carros esportivos encerrará seu programa de Fórmula E, que chegará ao fim no final da 7ª temporada. A Audi está presente na Fórmula E desde o início da categoria na temporada 2014/15, mas foi apenas no quarto campeonato, em 2017, que a montadora germânica transformou a equipe Abt em um time totalmente dirigido pela fábrica alemã.

O futuro da Audi na F-E parecia seguro, mas o Motorsport.com apurou que os chefes da fabricante sentem que a categoria já cumpriu seu propósito, agora que o mundo começou a mudar para os carros elétricos.