Atriz de "Quero Ser Grande" diz que cena do filme jamais seria gravada hoje

Rafael Monteiro
·2 minuto de leitura
Elizabeth Perkins e Tom Hanks em cena sexy de
Elizabeth Perkins e Tom Hanks em cena sexy de "Quero ser Grande": cena provavelmente não seria gravada nos dias de hoje (Reprodução)

"Quero Ser Grande" (1988), um dos grandes clássicos da Sessão da Tarde e do cinema dos anos 1980, conta com uma cena "inapropriada" que não poderia ser filmada nos dias de hoje. Essa é a opinião de Elizabeth Perkins, a intérprete de Susan no longa.

Em entrevista ao site Page Six, a atriz, hoje aos 60 anos, refletiu sobre a sua aparição na trama. Após Josh (Hanks), um menino de 13 anos virar magicamente um adulto, ele ganha um emprego e arruma uma namorada - ela mesma, Susan.

Leia também:

Em determinado momento do filme, Josh e Susan têm um momento romântico, no qual a história dá a entender que os dois tiveram uma relação sexual, como lembrou Perkins na entrevista.

"Na verdade, eu tiro minha camisa e ele toca meu seio, e cortamos para a abertura da porta do elevador e ele tem um grande sorriso no rosto. Nunca dissemos: 'Eles dormiram juntos', mas eles definitivamente se divertiram,” opinou a atriz. 

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Segundo ela, nenhum membro da equipe viu problema em gravar uma cena de sexo com um personagem menor de idade na época. Ela acredita que isso certamente não aconteceria nos dias de hoje. 

“Não teriam mostrado isso de forma alguma [atualmente]. Acredito estarmos em uma época diferente… E, estou totalmente de acordo com isso [com a decisão de vetar a cena],” finalizou.

Descrença no sucesso

Elizabeth Perkins attends the LA Premiere of
Elizabeth Perkins posa para os fotógrafos, em 2019 (Photo by Willy Sanjuan/Invision/AP)

Na mesma entrevista, a atriz, que também interpretou a Wilma em "Os Flintstones: O Filme" (1994), surpreendeu ao dizer que não esperava que "Gente Grande" fosse um grande sucesso do cinema.

"Na verdade, achávamos que seria o oposto disso. Havia muitos filmes parecidos saindo. O filme seria com o Robert De Niro, depois com o Harrison Ford", lembrou Perkins, elogiando o seu principal colega de cena e a diretora do filme, Penny Marshall. 

"Aí o Tom Hanks entrou e as coisas aconteceram. Nós sabíamos que seria melhor do que qualquer ‘filme de troca de corpos’ por causa da Penny e do Tom”, finalizou a artista.

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.