Atletismo dos Estados Unidos pressiona COI para mudar a data de início das Olimpíadas


Ao longo da semana, vários atletas e comitês defenderam o adiamento da Olimpíada de Tóquio, após o Comitê Olímpico Internacional (COI) reafirmar que pretende iniciar o evento na data programada, 24 de julho. Nos Estados Unidos, o atletismo do país, através de Max Siegel, chefe da USA Track & Field (USATF), divulgou uma carta, em que faz um apelo ao Comitê Olímpico e Paralímpico norte-americano (USOPC) para pressionar o COI em defesa de seus atletas.

- Nossos atletas estão sob muita pressão, estresse e ansiedade, e a saúde mental deles e seu bem-estar estão entre nossas maiores prioridades. A coisa mais certa e responsável a se fazer é priorizar a saúde e segurança de todos e reconhecer apropriadamente o impacto que essa difícil situação tem e continuar a ter sobre nossos atletas na preparação para as Olimpíadas. Por essa razão, a USATF pede ao Comitê Olímpico e Paralímpico americano que defenda ao COI o adiamento das Olimpíadas de 2020 em Tóquio - comentou em nota.

Em entrevista ao jornal 'The New York Times', o presidente do COI, Thomas Bach, disse não haver necessidade de tomar medidas drásticas, já que os Jogos só começam daqui há 4 meses. Já o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, afirmou que não pretende adiar o início do evento.

Na última sexta, a Natação dos Estados Unidos também anunciou uma nota ao USOPC em que pede o adiamento da Olimpíadas. No entanto, a entidade alegou que dará mais tempo para o COI definir o futuro dos Jogos de Tóquio 2020.

Com isso, aumenta a pressão sobre o COI para a mudança na data de início dos Jogos. No Brasil, o COB também defendeu o adiamento e teve de confederações de diversas modalidades, em apoio aos atletas e na intenção de evitar a propagação e o contágio do coronavírus.

O USATF, em sua rede social, criou um site com informações sobre o COVID-19 na intenção de publicar informações atualizadas a atletas, treinadores, representantes de atletas, organizadores de eventos e membros. Segundo a entidade, a página será atualizada regularmente à medida que novas informações surgirem.











Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também