Atlético vê dinheiro para reforços ser usado em salários e até com dívida na Fifa

Yahoo Esportes
Maicosuel chegou ao Atlético em 2014 e saiu em 20117, mas o clube ainda deve uma parte para a Udiense, da Itália (Thomás Santos/AGIF)
Maicosuel chegou ao Atlético em 2014 e saiu em 20117, mas o clube ainda deve uma parte para a Udiense, da Itália (Thomás Santos/AGIF)

Quando o Atlético-MG contratou o técnico Jorge Sampaoli muito se questionou o presidente do clube, Sérgio Sette Câmara, sobre como a conta seria paga. Afinal, além do salário, o treinador argentinou chegou à Cidade do Galo com a promessa de que o elenco seria bastante reforçado para a disputa do Campeonato Brasileiro. De acordo com o dirigente alvinegro, após fazer bastante economia nos dois primeiros anos de mandato, o Atlético tinha uma “gordura” para queimar em 2020.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

No entanto, essa reserva financeira pode não ser utilizada na busca por reforços. Com a paralisação do futebol, causada pela pandemia do novo corona vírus, o Atlético ficou sem receitas e vai ter de mexer no dinheiro que seria usado para contratações. Assim, o que estava guardado será usado para o pagamento de salários.

Para deixar a situação do Atlético ainda mais complicada, o clube terá de pagar mais de R$ 10 milhões à Udinese, da Itália, até o fim deste mês. A decisão é da Fifa, num caso que se arrasta há mais de quatro anos. O meia foi comprado pelo Galo em 2014, ainda na administração de Alexandre Kalil, e dois anos depois a equipe italiana entrou com processo cobrando o valor devido. De acordo com a decisão da entidade máxima do futebol, o clube mineiro tem até o dia 28 de abril para quitar o débito de R$ 10,4 milhões.

Em função da paralisação do futebol e a falta de receitas, o Atlético solicitou que a Fifa prorrogue o prazo para que o pagamento seja feito. A alegação do clube mineiro é justamente a crise causada pelo novo corona vírus. Apesar do pedido, a diretoria alvinegra não se mostra tão confiante e garante já ter o dinheiro separado para quitar o débito com a Udinese. Caso não cumpra a determinação da Fifa, o Galo pode perder pontos no Brasileirão 2020.

Veja mais sobre futebol mineiro no Blog de Victor Martins

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também