Atlético promete bicho de R$ 450 mil e não paga. Salários seguem atrasados

Yahoo Esportes
Vitória sobre o Goiás valeu R$ 450 mil para serem divididos entre os jogadores do Atlético-MG. Valor ainda não foi pago pela diretoria (Fernando Moreno/AGIF)
Vitória sobre o Goiás valeu R$ 450 mil para serem divididos entre os jogadores do Atlético-MG. Valor ainda não foi pago pela diretoria (Fernando Moreno/AGIF)

Mesmo com a queda de rendimento e a sequência de derrotas que fez o Atlético-MG despencar do G-4 para a parte de baixo da classificação no Campeonato Brasileiro, o risco de rebaixamento do clube mineiro jamais esteve acima dos 10%, de acordo com alguns sites de probabilidades. No entanto, depois da derrota para a Chapecoense, a 11ª em 15 rodadas, a diretoria temeu pelo pior e prometeu enfiar a mão no bolso em caso de vitórias. Ficou acertado que cada triunfo do Galo a partir de então vale R$ 450 mil de bicho, para ser dividido somente entre os jogadores.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM

Na rodada seguinte ao revés para a Chape, o Atlético empatou com o Fortaleza, fora de casa, com um jogador a menos durante quase todo o segundo tempo, já que Geuvânio foi expulso logo no primeiro minuto da etapa final. O esforço dos atletas foi recompensado com o pagamento do bicho, mas não o valor integral.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também:

Contra o Goiás, no Mineirão, triunfo por 2 a 0 e R$ 450 mil a serem pagos aos jogadores como prêmio pelos três pontos. No entanto, quase uma semana depois da vitória, o valor segue em aberto. A renda bruta do jogo com a equipe esmeraldina foi pouco mais da metade do valor prometido ao elenco alvinegro. O clube arrecadou R$ 230.750,00.

A demora para pagar o bicho tem incomodado alguns jogadores, que já convivem com salários de atrasados durante quase toda a temporada. Situação parece que se agravou nas últimas semanas, já que muitos funcionários do clube também não receberam neste mês. Somente os empregados que têm os salários mais baixos estão em dia.

E a tendência é que tudo seja regularizado somente depois do término do Campeonato Brasileiro, em dezembro. Na última entrevista concedida pelo presidente Sérgio Sette Câmara, no fim de outubro, o dirigente revelou que o Atlético aguarda pelo pagamento que será feito referente à cota de televisão da competição.

“Este ano foi o primeiro em que houve uma mudança na forma de remuneração da televisão. Então, isso impactou muito nos clubes. Por isso, tem muitos clubes que estão com dificuldades financeiras nestes meses agora de outubro e novembro. Não é só o Atlético. São vários clubes que estão com essa dificuldade, porque foi feita uma divisão em que foi feito um pagamento de um terço no primeiro semestre, que é praticamente igual para todo mundo. O restante é dividido em: colocação final no Campeonato Brasileiro e exposição, que vai de Globo, canal fechado e tem toda uma avaliação. Esse pagamento acontece em dezembro”, disse o dirigente, que garantiu que nenhum jogador entrará em 2020 com dinheiro a receber do clube.

O Atlético encerrou a 32ª rodada na 12ª colocação, com 40 pontos. São seis a mais do que o Fluminense, primeiro time dentro da zona de rebaixamento e próximo adversário atleticano, sábado, no Maracanã. De acordo com o site de probabilidades no futebol da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) o Galo tem somente 1,3% de chance de queda. Já o site Infobola coloca o rebaixamento do clube mineiro com 2% de possibilidade.

Veja mais sobre futebol mineiro no Blog de Victor Martins

Siga o Yahoo Esportes

Twitter | Flipboard | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter


Leia também