Atletas da Pitbull Brothers, Reinaldo Ekson disputa cinturão e Gian Patolino encara ex-campeão no maior evento de MMA da África

·2 minuto de leitura


O Brasil estará muito bem representado no Extreme Fighting Championship (EFC) 86, maior evento de MMA da África, que acontece neste sábado (26) em Joanesburgo, na África do Sul. O potiguar Reinaldo Ekson fará a sua segunda luta pelo EFC e irá disputar o cinturão da categoria peso-pena contra o sul-africano Igeu Kabesa. Já o peso-mosca Gian Patolino, que está invicto no MMA, fará a sua primeira luta internacional diante do ex-campeão do evento Luthando Biko. Ekson, que possui um cartel com 15 vitórias e apenas cinco derrotas, fará a luta principal da noite. Ele analisou o seu adversário e disse que está confiante na conquista do título.

“Essa será a minha segunda luta na organização, e será pelo título devido a excelente luta que fiz na primeira oportunidade. Estou muito motivado e tenho certeza que o título será meu. Nunca estive tão bem em toda a minha carreira! Estou muito bem tecnicamente, fisicamente e mentalmente. Nas mais perfeitas condições para ser o campeão. O Igeu Kabesa é um grande atleta, um cara jovem e que tem um cartel muito bom (12 vitórias e apenas uma derrota). O seu jogo de Wrestling é muito ofensivo, mas eu treinei muito para que ele não use o Wrestling. Vou anular o jogo dele e, caso ele se mantenha de pé, eu vou nocauteá-lo. Se ele me levar para o chão, eu vou finalizá-lo! Esse é o meu momento e esse título será meu”, disse Ekson.

Uma das grandes revelações do MMA nacional, o peso-mosca Gian “Patolino” Souza finalmente fará a sua estreia internacional. Após construir um cartel perfeito com sete vitórias, quatro por nocaute e três por finalização, ele terá a chance de mostrar todo o seu talento diante do ex-campeão Luthando Biko, que possui sete vitórias e duas derrotas em seu currículo. Assim como seu parceiro de treinos na Pitbull Brothers, Patolino também está confiante que terá o seu braço erguido no final da peleja.

“A minha expectativa é muito boa para essa luta. Estive no local do evento e senti uma energia muito positiva quando calcei as luvas da organização e subi ao cage. Senti que serei campeão naquele palco e ninguém vai me parar. Eu estou pronto! Os treinos no Brasil foram muito intensos. Fizemos um bom camp e montamos uma boa estratégia para sairmos com a vitória. Analisei as últimas lutas do meu adversário. Ele é um cara bem duro, se movimenta bastante e gosta de agarrar para derrubar, mas vi que ele não tem uma boa entrada de quedas. Na parte em pé ele se movimenta muito, não tem muito volume de golpes, mas tem gás para três rounds. Vai ser um bom duelo, mas aposto que o meu jogo vai se encaixar bem para vencê-lo em pé ou no chão. Vou lá fazer o meu trabalho e sair com a vitória”, disse o paraibano de Santa Luzia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos