Atletas celebram sensatez em adiamento da Olimpíada de Tóquio

Folhapress
***FOTO DE ARQUIVO*** Rio de Janeiro RJ,BRASIL, 28/07/2016-Fotos do velejador brasileiro, Robert Scheidt, bicampeão olímpico. (Foto: Ricardo Borges/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** Rio de Janeiro RJ,BRASIL, 28/07/2016-Fotos do velejador brasileiro, Robert Scheidt, bicampeão olímpico. (Foto: Ricardo Borges/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O adiamento da Olimpíada de Tóquio, anunciado pelo Comitê Olímpico Internacional e pelas autoridades japonesas nesta terça-feira (24), repercutiu positivamente entre atletas e comitês olímpicos nacionais.

Bicampeão e maior medalhista olímpico da história do país (dois ouros, duas pratas e um bronze), o velejador Robert Scheidt, 46, comemorou o adiamento. Classificado para os Jogos, ele participará de sua sétima Olimpíada.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"A decisão de adiar os Jogos Olímpicos para 2021 é a decisão correta. Infelizmente o mundo está vivendo um momento muito triste e acho que a prioridade hoje é a saúde. Considerando a saúde dos atletas e a de todos os envolvidos na organização da Olimpíada, considerando também a possibilidade de se preparar de maneira igualitária, o caminho do adiamento é o caminho correto. Tenho certeza que Tóquio estará mais motivada que nunca para entregar uma grande Olimpíada", afirmou Scheidt.

Dono de 24 medalhas paralímpicas, 14 delas de ouro, o nadador Daniel Dias, 31, foi outro que comemorou a mudança. O atleta nascido em Campinas fará em Tóquio sua quarta participação em Paralimpíadas.

"Japão, te vejo em 2021! Obrigado COI pela sábia e sensata decisão. Fico mais tranquilo e motivado para participar destes Jogos em Tóquio", escreveu o atleta no Twitter.

Presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, entidade que havia se posicionado em favor do adiamento do evento por conta da pandemia de coronavírus que assola o mundo, Mizael Conrado celebrou a decisão tomada pelos organizadores dos Jogos.

"O Comitê Paralímpico Internacional, o Comitê Organizador dos Jogos e o primeiro ministro japonês nos fazem sentir orgulho de pertencer ao movimento esportivo. Eles nos mostram que os valores do esporte são preservados e o ser humano, de acordo com esses valores, está sempre em primeiro lugar", disse o dirigente.

"Não tenho dúvida que o movimento esportivo, especialmente os atletas, darão sua resposta, até em reconhecimento ao respeito das nossas organizações nos Jogos de 2021. Transformaremos a capital japonesa na capital do mundo e faremos do esporte um ponto importante de recuperação da nossa sociedade, tanto do ponto de vista econômico como, principalmente, da auto-estima dos nossos povos", completou Conrado.

O COI e o governo japonês ainda não estabeleceram uma data exata para a realização da Olimpíada. A única sinalização das entidades é de que o evento deverá acontecer, no máximo, até o verão de 2021 no hemisfério norte (junho a setembro).

Leia também