Atletas do Afeganistão chegam a Tóquio para disputar Paralimpíadas

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - De maneira inesperada, o Afeganistão terá representantes nas Paralimpíadas de Tóquio-2020. Neste sábado (28), Zakia Khudadadi e Hossain Rasouli chegaram à Vila Paralímpica dos Jogos. Ela irá competir no taekwondo, esporte estreante no evento. Já Houssain disputa o atletismo.

A não ida dos atletas era tida como certa após o Talibã tomar o poder. As fronteiras foram fechadas e o país vive caos político e humanitário.

Apesar disso, Zakia e Houssain conseguiram deixar o Afeganistão no último fim de semana e passaram uma semana em Paris, no Insep (Instituo Nacional de Especialização e Desempenho Esportivo). O local é um centro de excelência mantido pelo Ministério do Esporte da França. Eles embarcaram para o Japão na sexta-feira (27) em voo que durou 11 horas.

Os afegãos foram recebidos na Vila pelo brasileiro Andrew Parsons, presidente do IPC (Comitê Paralímpico Internacional) e Chelsey Gotell, presidente do Conselho de Atletas da entidade.

"Doze dias atrás, fomos informados de que a equipe paralímpica afegã não poderia viajar a Tóquio. Foi uma notícia que partiu os corações de todos os envolvidos no Movimento Paralímpico e deixou os dois atletas arrasados. Mas esse anúncio deu início a uma grande operação global que levou à evacuação segura do Afeganistão, a viagem até a França e agora à chegada a Tóquio", contou Parsons.

Na cerimônia de abertura, a bandeira do Afeganistão participou do desfile como forma de homenagem aos atletas do país. Nos bastidores, porém, o IPC tentava viabilizar a presença deles no Japão.

"Como todos aqui em Tóquio, nunca perdemos a esperança. E agora ter Zakia e Hossain na Vila Paralímpica ao lado de 4.403 outros atletas, mostra o poder notável do esporte para unir as pessoas em paz", destacou o brasileiro.

No início da semana, em entrevista à Folha, Parsons tinha mostrado preocupação com os atletas e que seria arriscado trazê-los ao Japão.

"Nossa prioridade foi e sempre será a saúde e o bem-estar dos atletas. Nos últimos 12 dias, Zakia e Hossain continuaram a expressar seu desejo absoluto de participar e competir nos Jogos Paraolímpicos de Tóquio", afirmou.

A saída dos atletas do território afegão foi planejada em conjunto com várias entidades, entre as quais os comitês paralímpicos de França e Grã-Bretanha, a federação internacional de taekwondo e ONgs de direitos humanos.

"Os atletas deixaram claro que, após anos de treinamento, queriam competir no maior palco de todos, os Jogos Paralímpicos. O fato de que tantas autoridades se uniram para tornar isso possível é verdadeiramente maravilhoso", agradeceu Gotell, do Conselho de Atletas do IPC.

Zaskia irá estrear na noite da próxima quarta-feira (1º de setembro), no horário de Brasília.

Já Houssain originalmente iria participar dos 100 m T47, prova em que o brasileiro Petrúcio Ferreira se tornou bicampeão paralímpico. Mas agora irá participar dos 400 m T47, cujas eliminatórias acontecem a partir das 22h38 da próxima quinta-feira (horário de Brasília).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos