Atleta do ano, Beatriz Ferreira já conhece desafios para 2020

Yahoo Esportes
Beatriz Ferreira, foi campeã do Pan de Lima e do Mundial feminino em 2019 (CRIS BOURONCLE/AFP via Getty Images)
Beatriz Ferreira, foi campeã do Pan de Lima e do Mundial feminino em 2019 (CRIS BOURONCLE/AFP via Getty Images)

A boxeadora Beatriz Ferreira, eleita “atleta do ano” de 2019 na cerimônia de fim de ano do Comitê Olímpico Brasileiro, focará na conquista de uma vaga na Olimpíada de Tóquio no primeiro semestre de 2020. Beatriz foi campeã dos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019 e do Campeonato Mundial Feminino da Rússia-2019.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM
SIGA O YAHOO ESPORTES NO FLIPBOARD

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Como a comissão técnica da Confederação Brasileira de Boxe e a própria seleção estão de férias, os primeiros meses do ano servirão para os atletas recuperarem o ritmo de competição a partir do dia 5 de janeiro, quando o grupo será reintegrado. Provavelmente a academia, que foi reformada, será apresentada à imprensa, com as medalhas conquistadas por Bia, Hebert Conceição, Keno Marley & Cia serão expostas.

Leia também:

Como já é costume, os boxeadores brasileiros subirão no ringue do Stranja Tournament, um dos mais tradicionais da Europa, que este ano foi antecipado e que começa a ser disputado a partir do dia 19 de janeiro; depois viajam à República Dominicana para outro torneio, marcado para a partir de 17 de fevereiro.

O classificatório olímpico das Américas está previsto para março, na argentina, e distribuirá uma média de quatro vagas por categoria, em algumas serão apenas três, e cinco, em bem poucas categorias. A tendência é participarem 40 países das Américas. Os principais adversários do Brasil serão EUA, Cuba, Colômbia, Venezuela, Argentina, que se desenvolveu bastante no masculino com um grupo jovem, República Dominicana, que apresentou um grupo forte nos Jogos Pan-Americanos de Lima, e no feminino, o Canadá. A seleção mexicana de pugilismo é uma incógnita, por conta da alternância de atletas.

Quem não conseguir vaga no classificatório das Américas terá nova oportunidade a partir de 14 de maio, em Paris. O evento reunirá atletas de todo o mundo que garantiram vagas nos classificatórios continentais. Porém será mais concorrido, já que serão só quem ganhar ouro e prata carimbam o passaporte olímpico.

Segundo o head coach da seleção brasileira, Mateus Alves, apesar das importantes conquistas da seleção brasileira este ano, o foco está nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020.

“Estamos focados em 2020, se não conquistarmos medalha em Tóquio, de nada vai ter adiantado o ano positivo em 2019, temos que fechar com chave de ouro em Tóquio”, respondeu o técnico, ao ser questionado se estava satisfeito com a campanha de 2019, que lhe rendeu o prêmio de técnico do ano de esportes individuais dado pelo COB. “Foi muito gratificante, admiro os grandes nomes entre os treinadores, dentre os quais está o [técnico do ano de esportes individuais premiado na mesma cerimônia] Renan [dal Zotto]; apesar de os atletas [do boxe] competirem de forma individual, também sou treinador de um grupo com 20, 22 atletas, com a característica de competirem de forma individual.”

Veja mais de Eduardo Ohata no Yahoo Esportes

Siga o Yahoo Esportes

Twitter |Flipboard |Facebook |Spotify |iTunes |Playerhunter

Leia também