Atlético-PR recebe Flamengo em duelo “determinante” pela Libertadores

Em um duelo de brasileiros na Copa Libertadores, o Flamengo visita o Atlético-PR nesta quarta-feira, às 21h45(de Brasília), na Arena da Baixada, em Curitiba (PR), pela quarta rodada do Grupo 4 da competição. Trata-se de um reencontro entre dois times que duelaram há duas semanas no Rio de Janeiro, com triunfo dos cariocas por 2 a 1. Com isso, os flamenguistas somam seis pontos, dois a mais que os paranaenses.

Os times vão duelar em meio à disputa de finais estaduais. No fim de semana o Flamengo bateu o Botafogo por 2 a 1 e se garantiu na decisão do Campeonato Carioca. Pelo mesmo placar o Furacão foi superado pelo Londrina no domingo, mas ganhou nos pênaltis e vai decidir o título paranaense em final contra o arquirrival Coritiba.

Após ter poupado da segunda partida das semifinais do Campeonato Paranaense, o Furacão vai a campo quase com força máxima para o confronto contra os cariocas. Isso porque Jonathan e Carlos Alberto seguem sem condições de jogo. Dessa forma, a lateral-direita terá o zagueiro Zé Ivaldo improvisado na posição. No meio campo, Matheus Rosseto e Deivid disputam uma vaga.

O técnico Paulo Autuori confirmou que a base do primeiro confronto no Rio de Janeiro permanece e, confiante no sistema de jogo, espera ainda o mesmo desempenho, mas com outro resultado ao final dos 90 minutos. “A equipe praticamente será a mesma que atuou contra o Flamengo lá. Vamos analisar todos aqueles que voltaram. O Otávio está pronto, o Carlos (Alberto) muito difícil que jogue e o Jonathan está fora. Se jogarmos o que jogamos, teremos muitas chances de ganhar”, avaliou.

Uma derrota em casa deixará a situação do Atlético bastante complicada no grupo mas, ainda assim, o comandante rubro-negro evita jogar todas as fichas nesta partida, que classifica como importante mas não decisiva para a classificação. “É determinante em relação ao que nós queremos, que é a classificação. Não é decisivo, porque o número de pontos em um grupo tão equilibrado como esse não deverá ser muito alto para a classificação dos dois primeiros, mas é determinante sim”, concluiu.

Pelo lado dos visitantes, o técnico Zé Ricardo não escondeu que espera encarar um adversário realizando uma forte pressão e atuando de maneira ofensiva, pois apenas a vitória interessa aos paranaenses. “Acredito que o Atlético saia para buscar o jogo e tente se impor em casa, pois sempre procura pressionar os adversários na Arena da Baixada. Vamos encontrar muitas dificuldades, mas se conseguirmos nos controlar nesses momentos de pressão acredito que temos uma grande chance de conquistar os três pontos, que seriam maravilhosos”, disse o comandante.

Para o lateral Pará, o Rubro Negro deve manter o que tem dado certo na temporada para sair com mais três pontos. “O Flamengo tem conseguido ir bem na Copa Libertadores porque está conseguindo pensar em uma partida de cada vez. Portanto, não existe ainda o menor motivo para mudarmos essa nossa maneira de agir. Temos adversários qualificados pela frente. O Atlético Paranaense é o primeiro deles e por isso mesmo na ordem de prioridade neste momento aparece em primeiro lugar” afirmou o lateral-direito Pará.

o Flamengo segue sem poder contar com o meia Diego, com lesão no joelho direito. O argentino Federico Mancuello pode ser uma opção e disputa posto com Gabriel. O zagueiro Alejandro Donatti, mais um argentino do plantel, é dúvida com dores musculares nas duas coxas e pode ter seu posto mais uma vez entregue a Rafael Vaz.

 

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-PR X FLAMENGO

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Data: 26 de abril de 2016, quarta-feira

Horário: 21h45 (de Brasília)

Árbitro: José Argote (Venezuela)

Assistentes: Luis Murillo (Venezuela) e Jorge Urrego (Venezuela)

ATLÉTICO-PR : Weverton; Zé Ivaldo, Paulo André, Thiago Heleno (Wanderson) e Sidcley; Otávio, Deivid (Rossetto) e Lucho González; Nikão, Douglas Coutinho e Eduardo da Silva.

Técnico: Paulo Autuori

FLAMENGO: Alex Muralha; Pará, Rever, Rafael Vaz (Alejandro Donatti) e Miguel Trauco; Márcio Araújo, Rômulo, Willian Arão, Gabriel (Federico Mancuello) e Everton; Paolo Guerrero.

Técnico: Zé Ricardo