Atlético-MG vence Cerro Porteño (1-0) e garante 1º lugar do Grupo H da Libertadores

·3 minuto de leitura
Mariano, do Atlético Mineiro, disputa a bola com Alan Rodríguez, do Cerro Porteño, durante o jogo da Libertadores, disputado em Assunção, no dia 19 de maio de 2021

O Atlético Mineiro conquistou uma vitória por 1 a 0 sobre o Cerro Porteño nesta quarta-feira, em sua visita ao Paraguai, em um jogo disputado no estádio "La Olla Monumental" pela quinta rodada do Grupo H da Copa Libertadores 2021.

O único gol da partida foi marcado pelo atacante Keno, nos acréscimos (90 + 2). Com o resultado, o Galo, classificado no início da quarta rodada, se afastou ainda mais dos demais competidores chegando aos 13 pontos. O Cerro está atrás com 7.

Também nesta quarta, na mesma chave, o América de Cali (agora com 4 pontos) venceu o venezuelano Deportivo La Guaira, que ficou na lanterna com 3 pontos.

- Má sorte -

O gol de Keno, que havia entrado aos 68 minutos para substituir o atacante Marrony, veio após uma falha do zagueiro paraguaio Alexis Duarte quando o jogo caminhava para o fim.

O zagueiro saiu jogando e inexplicavelmente entregou a bola nos pés de Keno que, após se livrar de outro marcador, chutou na saída do goleiro Jean Fernandes.

Em um piscar de olhos, o jogo saiu das mãos do Cerro. O empate o colocava a um passo da classificação para as oitavas.

O descuido deu ao time mineiro a garantia de terminar a fase como primeiro colocado do Grupo H.

O Galo, comandado por Cuca, assumiu o domínio do jogo na primeira fase.

Aos 20 minutos, o atacante Eduardo Sasha teve uma grande chance após um passe do habilidoso atacante Marrony. Seu chute de pé direito foi defendido pelo goleiro Jean.

O Cerro entrou aos 32 com um chute do meia Claudio Aquino e um minuto depois foi a vez de Tchê Tchê tentar, após um passe de Marrony.

Aos 34 minutos, o árbitro uruguaio Esteban Ostojich marcou um toque de mão do meia paraguaio Mathías Villasanti, quando este superava o goleiro Everson.

O Cerro teve sua melhor chance aos 39, com uma cobrança de falta que o lateral-esquerdo Santiago Arzamendia chutou para fora.

Aos 44, o atacante chileno do Atlético, Eduardo Vargas, em vez de finalizar, parou, ajeitou e perdeu sua chance com a chegada dos zagueiros adversários.

- Erro e castigo -

O segundo tempo, com menos emoções e um resultado que agradava a ambos, teve uma boa oportunidade para o time da casa aos 62 minutos em uma cabeçada de Juan Patiño no meio da área.

Aos 68, Cuca colocou em campo três jogadores que havia poupado até aquele momento, incluindo o artilheiro Hulk, para dar mais mobilidade ao ataque.

Por sua vez, o técnico do Cerro, Francisco Arce, autorizou a entrada do ala argentino Federico Carrizo e do jovem Alan Rodríguez para tentar o gol na reta final da partida.

Aos 78, um desarme perigoso do atacante Vargas foi desviado desesperadamente pelo zagueiro Alexis Duarte. O goleiro Jean conseguiu evitar um gol contra.

Quando o jogo caminhava para o fim sem sinal de novidades, ocorreu o lance infeliz: o erro do zagueiro paraguaio que não foi desperdiçado pelo atacante Keno.

hro/cl/aam