Atlético-MG joga mal, sai perdendo, mas consegue empatar com o La Guaira em estreia na Libertadores

Valinor Conteúdo
·4 minuto de leitura


Para quem esperava um passeio na estreia do Atlético-MG contra o Deportivo La Guaira, o empate por 1 a 1, com gols de Adrián Martínez e Zaracho, na Venezuela, pela primeira rodada da Libertadores, foi frustrante. O jogo foi no Estádio Olímpico Nacional Brígido Iriarte, em Caracas, capital do país vizinho, nesta quarta-feira.

E não porque o time venezuelano seja de alto nível. Mas o Galo segue apresentando um futebol de baixa qualidade: se não houver uma mudança na forma de jogar, evitando o excesso de cruzamentos na área (foram 60, ao todo), a sequência na Libertadores pode gerar preocupação para Cuca e claro para a Massa Alvinegra.

O goleiro Everson apareceu em diversos momentos, evitando uma derrota. O Atlético teve um primeiro tempo de pouca inspiração, defesa frágil, com Réver e Guga destoando do restante do time.

Cuca terá de repensar a escalação de Allan, pois com a entrada de Zaracho, o time reagiu, empatou o duelo e teve momentos mais lúcidos em campo. Mas, no geral, foi uma partida com mais problemas do que de bom futebol.

Guga vira de costas, não marca e sai o gol do La Guaira

O jogo teve apenas duas finalizações até os 20 minutos do primeiro tempo. Todas do La Guaira. Na primeira, nada aconteceu. Quando chegou a segunda finalização, Adrián Martínez, penetrou na zaga alvinegra, Guga deu as costas para o jogador venezuelano, e o zagueiro fez um bonito gol em Everson.

Galo lento, sem transição rápida da defesa para o ataque

O Atlético-MG parecia ter voltado de uma feijoada, com o time pesado, sem aproximação, defesa frágil e nenhuma conexão entre meio de campo e ataque. O La Guaira apenas se defendia, mas viu que o “bicho” não era tão feio assim. Um equipe com um meio de campo leve como o alvinegro, levantar 14 bolas na área do rival, no famoso chuveirinho, mostra que ainda há muito a se acertar.

Amor pelo “chuveiro”

O Galo insistiu muito em cruzamentos para a área do La Guaira. Eram jogadas pouco efetivas que geravam quase nenhum perigo para os venezuelanos. As chances criadas eram na base do “abafa”, sem trabalho nas jogadas, bem desorganizado em campo.

Será que o Zaracho convenceu Cuca?

O argentino entrou no segundo tempo e já deu uma dinâmica melhor na saída de bola e ainda fez o gol de empata do Galo. Allan, que chegou com fama de bom passador, ainda não teve uma sequência boa na equipe.

Fôlego caiu, o La Guaira agradeceu

O Atlético não conseguiu manter o ritmo intenso até o fim da partida, o que impediu o gol da virada. Parece que se contentou com o empate na Venezuela. E ainda quase levou o segundo gol. Pouco para uma equipe superior ao adversário.

Reagiu, mas os problemas seguem

O Galo conseguiu reagir no jogo mais pela fragilidade do La Guaira, do que por um jogo coletivo bem desenhado e executado. Para a sequência da Libertadores, a classificação deve vir, porém, na fase de mata-mata, o futebol apresentado não levará o alvinegro muito longe na Libertadores.

Próximos jogos

Pela Libertadores, o Galo encara o América de Cali-COL, na terça-feira, 27 de abril, às 21h30, no Mineirão, pela segunda rodada da competição. Antes, no sábado, 24, recebe o Athletic, pela última rodada da fase de classificação do Campeonato Mineiro.

DEPORTIVO LA GUAIRA-VEN 1 X 1 ATLÉTICO-MG
Data/Hora: 21 de abril de 2021 às 19h (de Brasília)
Local: Estádio Olímpico Nacional Brígido Iriarte, em Caracas(VEN)
Árbitro: Facundo Tello (ARG)
Assistentes: Ezequiel Brailovsky e Pablo González (ARG)
Cartões amarelos: Eduardo Sasha(ATL), Olses(ATL)
Cartões vermelhos;
Gols: Adrián Martínez, aos 20’-1ºT(1-0) e Zaracho, aos 19’-2ºT(1-1)

DEPORTIVO LA GUAIRA-VEN

Carlos Olses; Agnel Flores, Francisco La Mantia, Adrian Martinez e Pernia, Cumaná, Arles Flores, Pol Hurtado, Cermeño (Marín, aos 24’-2ºT), Reys (Àngelo Peña, aos 11’-2ºT) e Darwin González. Técnico: Daniel Farías

ATLÉTICO-MG

Everson, Guga, Réver, Junior Alonso e Guilherme Arana; Allan (Zaracho-intervalo), Tchê Tchê (Nathan, aos 32’-2º) e Nacho Fernández; Savarino (Hulk-intervalo), Keno (Sasha aos 18’-2ºT) e Eduardo Vargas(Marrony, aos 18’-2ºT). Técnico: Cuquinha