Antes de anúncio, Atlético-MG já tinha informação de que Cuca pretendia sair por motivos pessoais

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Jorge Jesus
    Treinador e ex-futebolista português


Na noite desta segunda, 27 de dezembro, o futebol brasileiro foi pego de surpresa: o técnico mais vencedor da história do Atlético-MG entregou o cargo. No entanto, se todos ficaram sabendo quase de madrugada, a cúpula atleticana já sabia da situação há algum tempo.

Logo após a conquista da Copa do Brasil, no dia 15 de dezembro, Cuca disse a alguns amigos em uma festa particular que deixaria o Atlético-MG. Ele apresentou seus motivos a pessoas próximas. O que foi divulgado até agora é que o treinador precisa dar mais atenção à família, deseja ficar mais tempo com filhas e netas.

Com essa informação nas mãos, o Atlético iniciou contatos com possíveis nomes. E, desde o primeiro momento, Jorge Jesus despontou como o primeiro da lista. A proximidade entre Ricardo Guimarães e empresários ligados ao português são fundamentais para a operação ocorrer.

Agora, as conversas podem acelerar: o Benfica anunciou, no fim da manhã desta terça-feira (28), que Jorge Jesus não faz mais parte do clube, com "efeitos imediatos". Diante disso, a negociação já acontece.

O LANCE! tentou um posicionamento oficial do clube mineiro, mas o diretor de futebol, Rodrigo Caetano mantém a postura de só se manifestar quando tiver algo definido.

Veja o comunicado do Galo sobre a saída de Cuca

O Atlético anuncia que Cuca não é mais treinador do Clube. A saída foi uma decisão pessoal do treinador, depois de reunião virtual ocorrida no final da tarde desta segunda-feira, 27 de dezembro.

No encontro, do qual participaram o diretor de futebol Rodrigo Caetano; o presidente Sérgio Coelho; e os 4 R's (Rubens e Rafael Menin, Ricardo Guimarães e Renato Salvador), o agora ex-treinador alvinegro anunciou a decisão de distratar seu contrato com o Galo, cujo vencimento somente se daria no final de dezembro de 2022.

Cuca alegou motivos pessoais, de ordem familiar, e disse que sua decisão era irretratável, apesar das seguidas tentativas dos dirigentes em demovê-lo e buscar um caminho no qual fosse possível conciliar as questões particulares com o trabalho.

O treinador também afirmou, na mesma reunião, que não iria trabalhar em nenhum outro clube em 2022, para se dedicar unicamente às questões familiares.

O Galo contava com o treinador no seu planejamento para o próximo ano e lamenta a decisão, embora compreenda os motivos alegados. Em nome de toda a diretoria, funcionários e atletas, o Clube agradece pelos serviços prestados e conquistas alcançadas, desejando-lhe sucesso no desenlace de suas questões particulares.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos