Atlético de Madrid x Leicester: o embate dos times que desafiam e vencem o impossível

O duelo dos times que desafiam e vencem o impossível, e querem fazer isso mais uma vez. Cada um com a sua realidade e história surpreenderam seus países, a Europa e o mundo nos últimos anos. O Atleti superando os poderosos Barcelona e Real Madrid para conquistar a Espanha, e chegando na final da Champions duas vezes nos últimos três anos. O Leicester escrevendo uma das páginas mais lindas e inspiradoras do futebol em todos os tempos com o inacreditável título da Premier League.

GFX Leicester x Atlético de Madrid UCL 17 03 17

Agora, eles se enfrentam nas quartas de final da Champions League em busca de um sonho que parece ainda mais impossível. Os Rojiblancos já bateram na trave três vezes, todas com uma dor incrível. Em 1974, o time era campeão até o último minuto da prorrogação, quando sofreu o empate do Bayern de Munique. Em uma época de regulamento diferente, no jogo de desempate, foi goleado por 4 a 0.

40 anos depois, na final contra o rival Real Madrid, a equipe era campeã até os 48' do segundo tempo, quando Sergio Ramos empatou. Na prorrogação, 4 a 1 para os Merengues. Na última temporada, nova decisão contra os Blancos, desta vez com derrota nos pênaltis. A história parece querer que o Atlético e sua fanática torcida sofram muito antes de conquistar sua primeira Champions League. O sonho parece inalcançável e o clube destinado a não vencer a competição, mas os Colchoneros nunca desistem.

Antoine Griezmann Atletico Madrid Valencia La Liga

Já o Leicester, que disputa a Champions League pela primeira vez na história, logo em sua temporada de estreia, chega às quartas de final, e com respeito. Depois de ser o primeiro de sua chave na fase de grupos, o time eliminou nas oitavas de final o Sevilla de Jorge Sampaoli, que tem um ótimo plantel, é o atual tricampeão da Liga Europa e está no terceiro lugar de La Liga, na frente do próprio Atlético de Madrid.

O Atleti, com um time superior tecnicamente e mais experiente, disputa as quartas de final da Champions pela quarta temporada seguida e nunca perdeu em casa para um clube inglês (cinco vitórias e cinco empates). Koke está jogando demais; Oblak sendo absurdo e uma muralha no gol; liderado por Godín, o sistema defensivo rojiblanco é muito forte; e além de Carrasco, Saúl e outros ótimos jogadores, os espanhóis têm Griezmann em grande fase e desequilibrando no ataque. Isso sem falar na liderança de Cholo Simeone.

Pela força, pela experiência e pelo estilo de jogo, é difícil não apontar os Colchoneros como favoritos no embate. O Leicester, afinal, se destaca pela excelência na marcação, pelo forte sistema defensivo e pelos contra-ataques letais com Mahrez, Vardy e Albrighton. No entanto, o Atleti também tem como principais virtudes a retaguarda poderosa e os contra-golpes mortais. Os Foxes vão enfrentar o pior adversário que poderiam, já que o estilo rojiblanco não favorece o dos ingleses, por mais que se imagine que o time de Simeone vá propor mais o jogo no confronto.

Leicester City

(Fotos: Getty Images)

No entanto, não dá para descartar o Leicester. O time já venceu e superou o impossível, e a magia parece ter voltado após a saída de Ranieri. Na estranha reviravolta, os Foxes, que não tinham marcado um gol sequer na Premier League em 2017 e vencido apenas uma das últimas nove partidas antes da saída do italiano, após a demissão do ex-técnico, bateram Liverpool e Hull City, marcando seis gols em dois jogos, e depois eliminaram o Sevilla triunfando por 2 a 0 no King Power Stadium. Existe um lado triste nessa história, mas o renascimento também é fenomenal.

Compare os números de Leicester e Atleti na Champions League:

Mahrez e Vardy, que não apresentavam o mesmo futebol da última temporada, voltaram a jogar demais com gols, assistências, grandes jogadas, puxando contra-ataques, dando um trabalho monstruoso para as defesas adversárias e ajudando barbaridade na marcação. Drinkwater, Albrighton e companhia voltaram a jogar demais e o sistema defensivo e a marcação estão no nível da última temporada. Isso sem falar em Schmeichel, que segue impressionante, fazendo milagre após milagre. Craig Shakespeare é querido pelos jogadores, e o clima no clube melhorou.

O Leicester está em alta, e o medo do rebaixamento na Premier League deu lugar ao retorno da confiança, da magia e do sonho de vencer novamente o impossível. O duelo promete demais e tudo pode acontecer.