Atlético-PR consegue gol aos 3 minutos e vence San Lorenzo fora de casa

Buenos Aires, 15 mar (EFE).- Em um jogo em que os dois times buscavam a reabilitação no grupo 4 da Taça Libertadores, o Atlético-PR conseguiu um gol logo no começo e venceu o San Lorenzo por 1 a 0 nesta quarta-feira em pleno estádio Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires.

O Furacão vinha de um empate amargo com a Universidad Católica na Arena da Baixada, em que abriu 2 a 0, mas levou dois gols depois dos 40 minutos do segundo tempo. Já o ganhador do torneio continental em 2014 havia sido goleado pelo Flamengo por 4 a 0 no Maracanã na estreia.

Em jogo nervoso, prevaleceu o gol marcado por Lucho González aos três minutos da primeira etapa. Blandi poderia ter igualado depois do intervalo, mas bateu um pênalti para fora, deixando o 'Ciclón' na lanterna da chave, sem nenhum ponto.

O Atlético, por sua vez, foi a quatro pontos e pode encerrar o primeiro turno na ponta da tabela, mas para isso terá de bater o Fla no Rio de Janeiro em seu próximo jogo pela competição, em 12 de abril.

O San Lorenzo teve duas trocas no time titular que foi goleado pelo Flamengo. Corujo entrou na lateral direita, o que fez com que Díaz atuasse na esquerda e Montoya fosse sacado. No ataque, Merlini ganhou a vaga de Botta.

O técnico Paulo Autuori faz apenas uma mudança no Atlético em relação ao empate com a Católica. O volante Matheus Rossetto substituiu o meia Carlos Alberto, machucado. Recuperado de lesão, Grafite ficou no banco e entrou no decorrer do confronto.

Com apenas três minutos de bola rolando, o Furacão já fez 1 a 0. Sidcley cruzou, a defesa rebateu, e a bola voltou para o lateral-esquerdo. Ele então devolveu para a área, e Lucho González marcou de cabeça.

Sem acusar o golpe, o San Lorenzo se lançou ao ataque para tentar o empate rápido. Aos oito, Mussis pegou sobra após Thiago Heleno cortar, bateu cruzado e errou o alvo. Pouco depois, aos 11, Belluschi dominou na entrada da área pela direita e finalizou, exigindo boa defesa do goleiro Weverton.

O 'Ciclón' tinha maior posse de bola, mas não conseguia transformar essa vantagem em chances de gols. Aos 23, Díaz levou da esquerda para o meio e bateu para defesa firme do arqueiro da seleção brasileira.

Depois de um bom tempo sem incomodar, o Atlético esteve perto de aumentar a vantagem aos 28 minutos. Lucho abriu na direita para Jonathan, que ajeitou para Nikão. Mesmo bem colocado, o meia bateu cruzado para fora.

Em mais uma saída rápida, aos 36, Felipe Gedoz levantou, mas nem Nikão nem Matheus Rossetto alcançaram a bola, que foi pela linha de fundo. Dois minutos depois, Thiago Heleno lançou na área em cobrança de falta, Pablo fez o pivô e encontrou, Lucho que cortou e encobriu a meta.

No intervalo, Aguirre optou por uma mudança ofensiva, substituindo Corujo por Botta. Entretanto, quem levou perigo logo no começo do segundo tempo foi o vice-campeão continental de 2005. Pablo foi acionado na área, se enrolou para bater e passou para Rossetto, que chutou nas mãos de Torrico. O goleiro voltou a trabalhar aos nove, mandando para escanteio um chute a queima roupa de Otávio.

Assim como aconteceu diante da Católica, o Atlético foi recuando no Nuevo Gasómetro, e a pressão do San Lorenzo foi aumentando com o passar do tempo. Aos 23, Cerutti fez o chuveirinho, e Weverton afastou. A sobra ficou com Ortigoza, que ia acertando o ângulo, mas o goleiro salvou com linda defesa.

Mesmo sem um futebol primoroso, o campeão da América em 2014 teve tudo para empatar aos 30 minutos, quando Cerutti invadiu pela direita do ataque e sofreu pênalti de Sidcley. Blandi foi para a cobrança e até deslocou Weverton, mas tirou demais e mandou para fora. O centroavante ainda pôde se redimir aos 31, mas seu cabeceio foi defendido pelo goleiro medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio.

Na parte final da partida, os donos da casa foram para o desespero. Aos 39, Bergessio, que entrara na vaga de Ortigoza, bateu de qualquer jeito e Wanderson, outro que entrou na segunda etapa, bloqueou.

Os últimos minutos foram de pressão intensa do 'Ciclón', mas na única oportunidade mais clara, em que Bergessio exigiu outra grande intervenção de Weverton, a arbitragem marcou impedimento. Lucho ainda poderia ter feito outro, aos 45, já que ficou livre de frente para Torrico, mas errou feio no arremate.


Ficha técnica:.

San Lorenzo: Torrico; Corujo (Botta), Angeleri, Caruzzo e Díaz; Mussis, Ortigoza (Bergessio), Cerutti e Belluschi; Merlini (Ávila) e Blandi. Técnico: Diego Aguirre.

Atlético-PR: Weverton; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Sidcley; Otávio, Lucho González e Matheus Rossetto (Wanderson); Felipe Gedoz (Grafite) e Nikão (Douglas Coutinho); Pablo. Técnico: Paulo Autuori.

Árbitro: Roddy Zambrano (Equador), auxiliado pelos compatriotas Christian Lescano e Ricardo Baren.

Cartões amarelos: Mussis (Atlético-PR) Pablo, Felipe Gedoz e Thiago Heleno (Atlético-PR).

Gol: Lucho González (Atlético-PR).

Estádio: Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires. EFE